Províncias

Centro Hospitalar do Calai reforçado com mais meios

A Escolar Editora colocou mais de dez mil livros de diversas temáticas à disposição dos estudantes da Universidade Kimpa Vita, no quadro da feira que promove de 3 a 14 deste mês, nas instalações da referida unidade académica, no Uíge.

Serviços sanitários da Calai em melhores condições para responder à procura de fármacos
Fotografia: Jornal de Angola

O representante da Escolar Editora, Ivan Barão, referiu que a feira de livros, aberta segunda-feira, está a registar grande adesão de estudantes dos diversos cursos ministrados na Universidade Kimpa Vita.
A iniciativa de proporcionar material didáctico aos estudantes visa ajudá-los a adquirirem livros sem necessidade de se deslocarem à capital do país ou outras localidades.
“Nós temos aqui livros de diversos cursos e são provenientes de várias editoras, não só a nossa como também a Almedina, Coimbra Editora, Peajet, Everest, Girassol, Macroil, Roca e outras”, esclareceu.
Ivan Barão reconheceu ser uma oportunidade para entabular contactos com responsáveis de escolas e outras entidades interessadas, para a aquisição ou comercialização de livros, a partir da sua editora. “A Escolar Editora tem a principal sede em Portugal, além de outra na cidade de Luanda e já temos livrarias na capital do país e Lobito. Temos mantido já contactos com outras províncias para o alargamento da nossa área de actuação”, precisou o responsável.
Anteriormente realizaram-se feiras em Malange, Lubango, Huambo, Namibe e Luanda. O coordenador da Área Académica da Faculdade de Direito da Universidade Kimpa Vita, João Inácio Cabonge, destacou a importância de realização de uma feira de livros na instituição académica.
Como referiu, constitui preocupação da Faculdade, assim como da direcção da Universidade, colocar à disposição dos estudantes a possibilidade de investigação e consultas para o enriquecimento dos seus conhecimentos.“Nesta senda, temos vindo a trabalhar para colocar uma biblioteca na instituição, no caso concreto da Faculdade de Direito, e tendo cá uma feira de livros os estudantes têm vantagens em adquiri-los sem gastos complementares”, justificou.
O estudante Afonso Massunguidi disse que a feira contribui para a criação de bibliotecas individuais.

Tempo

Multimédia