Províncias

Chuva torrencial desaloja famílias

Carlos Paulino | Cuchi

Mais de 150 pessoas ficaram desalojadas no município do Cuchi, em consequência das chuvas, acompanhadas de ventos fortes, que se abateram sobre aquela região da província do Kuando-Kubango, nos últimos dias.

Mais de 150 pessoas ficaram desalojadas no município do Cuchi, em consequência das chuvas, acompanhadas de ventos fortes, que se abateram sobre aquela região da província do Kuando-Kubango, nos últimos dias.
Os dados provisórios da administração municipal do Cuchi apontam que mais de 25 casas construídas com adobe, nos bairros Cangondo, Lievela e Senje, desabaram na sua totalidade, tendo provocado ferimentos graves a um jovem de 20 anos.
As chuvas destruíram também o tecto do depósito de medicamentos do Hospital Municipal, onde se estragaram cerca de três toneladas de fármacos. Foram igualmente danificadas a cobertura dos edifícios da administração, do mercado local e da Igreja Pentecostal.
A administração, no seu balanço provisório, realça igualmente que as águas das chuvas arrastaram as britas da base da linha do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, num espaço de 100 metros, aproximadamente.
O administrador municipal adjunto do Cuchi, João Ngongola, disse que as autoridades estão a envidar todos os esforços no sentido de apoiar as famílias sinistradas, uma vez que elas perderam todos os haveres. Para tal, a administração solicita a intervenção urgente do Governo Provincial do Kuando-Kubango e de instituições afins, por incapacidade para dar respostas às preocupações das referidas famílias, com tendas e bens de primeira necessidade.
João Ngongola adiantou que se aguardam na localidade os técnicos do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, para fazerem um levantamento preciso dos danos causados pelas chuvas. O administrador municipal adjunto pediu à população da circunscrição para evitar a construção em locais de risco, com vista a diminuir estes sinistros.

Tempo

Multimédia