Províncias

Chuvas causam duas mortes e destruição de residências

Carlos Paulino | Menongue

As fortes chuvas que se registam, desde Janeiro, na província do Cuando Cubango, causaram duas mortes por queda de raios e a destruição de 172 residências, que afectaram mais de mil pessoas.

Fotografia: DR

O porta-voz do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB), Júlio Muliata, informou ao Jornal de Angola que, das 172 residências, 14 ficaram destruídas totalmente e 158 parcialmente nos municípios de Menongue, Cuchi, Dirico e Cuangar.

Júlio Mulita acrescentou que as fortes chuvas provocaram também a destruição de seis igrejas e uma cantina, bem como a inundação de 40 casas e três lojas, afectando mais de 200 pessoas.
Informou que as chuvas inundaram também quatro lavras e três pomares no município de Menongue.
O responsável salientou que a instituição que representa controla 58 zonas de risco, sobretudo ao longo das margens do rio Kwebe, Luahuca, Cuchi e Cubango, cujos habitantes têm sido aconselhados a construir num outro lugar seguro, sob pena de perderem a vida em consequência das chuvas que caem com muita intesidade na região. /> Fez saber que 26 casas estão na iminência de desabar nos bairros Azul e da Feira, arredores da cidade de Me-nongue, face ao constante transbordo dos rios Kwebe e Luahuca em consequência das chuvas torrenciais que caem durante vários dias incessantemente.
Controlo das ravinas
Júlio Muliata fez saber. por outro lado, que o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros na província controla 47 ravinas, com destaque para 23 no município do Cuangar, 11 no Cuíto Cuanavale e igual número em Menongue.
Neste momento, a principal preocupação , adiantou o responsável, prende-se com as 11 ravinas de grandes proporções que continuam a progredir rapidamente no município do Cuíto Cuanavale, que ameaçam destruir dezenas de infra-estruturas sociais, com realce para o Aeroporto 23 de Março e o Memorial da Batalha do Cuíto Cuanavale.

Tempo

Multimédia