Províncias

Cidade de Menongue tem Instituto Médio Politécnico

Carlos Paulino | Menongue

A cidade de Menongue vai ter ainda este ano um Instituto Médio Politécnico com 20 salas. O secretário de Estado da Educação para a Formação e Ensino Técnico Profissional, Narciso Benedito, visitou as obras, orçadas em oito milhões de dólares (800 milhões de kwanzas).

Construção de mais escolas permite que os jovens prossigam os estudos na província em vez de o fazerem noutras zonas do país
Fotografia: Carlos Paulino | Menongue

Além de um internato para 128 estudantes, o edifício tem cinco laboratórios, sendo um de informática multimédia e básica, e os outros para Biologia, Química e Física.
A nova escola conta também com uma biblioteca, reprografia, sala de arquivo, enfermaria, salas de professores, campo desportivo, ginásio, refeitório para mais de 500 alunos, lavandaria, salas de estudo e de reunião, cantina e sistema de tratamento de água.
 Está também a ser construída uma casa  para o director e a ser instalado um grupo gerador de 100 KVA.
No final da visita, o secretário de Estado disse que nos próximos tempos o Ministério da Educação vai trabalhar em estreita colaboração com o Governo Provincial do Cuando Cubango, para serem definidos  os cursos a ministrar no novo estabelecimento de ensino técnico e profissional.
Narciso Benedito, que esteve no Cuando Cubango para avaliar as condições existentes para a abertura do ano lectivo, no domínio técnico e profissional, assegurou que o seu sector vai fazer tudo para que o novo Instituto Médio Politécnico possa ser apetrechado com equipamentos modernos e receber os primeiros estudantes.
Elogiou a qualidade das obras que tiveram a duração de dois anos. A população estudantil do município de Menongue e da província do Cuando Cubango tem motivo suficiente para se orgulhar da escola, que vai ser um modelo no país.
Narciso Benedito elogiou ainda as condições preparadas para este ano lectivo no ensino técnico e profissional, tendo em vista que estão alinhadas com as orientações do Executivo que visam o melhoramento da qualidade do processo de ensino e aprendizagem.

Falta de professores

Narciso Benedito disse que a província de Cuando Cubango necessita urgentemente de mais de 1.200 professores, para inserir 12 mil crianças no sistema de ensino e reforçar as escolas do primeiro e do segundo ciclo. Anunciou que o Ministério da Educação vai continuar a trabalhar em coordenação com o Governo Provincial, para a realização de um concurso público que permita contratar novos docentes.
Se o concurso público não for realizado antes do início da abertura do ano lectivo, previsto para o dia 31 de Janeiro, as aulas podem ficar comprometidas nas 28 novas escolas que vão entrar pela primeira vez em funcionamento na província do Cuando Cubango.
O secretário de Estado da Educação para a Formação e Ensino Técnico e Profissional recomendou aos gestores escolares, directores e Governo Provincial para fazerem um acompanhamento rigoroso, para que o ano lectivo possa decorrer sem sobressaltos.

Formação de quadros


O vice-governador do Cuando Cubango para o sector político e social, Pedro Camelo, referiu que a entrada em funcionamento do novo Instituto Médio Politécnico vai ser uma mais-valia para a província, que precisa de quadros qualificados que correspondam ao processo em curso de reconstrução e desenvolvimento.
O apetrechamento, o mais rápido possível, da instituição, permite o arranque ainda este ano, com cursos que têm a ver com o potencial que a província oferece, sobretudo nos sectores da Geologia e Minas, Indústria e Construção civil.
Pedro Camelo recordou que o Plano de Desenvolvimento Estratégico da Província tem como uma das principais apostas a formação de recursos humanos nos mais variados sectores, para que o Cuando Cubango continue a somar níveis de crescimento.
Durante a permanência no Cuando Cubango, Narciso Benedito visitou o Instituto Médio de Administração e Gestão 23 de Março, Instituto Médio de Saúde, o Instituto Médio Normal de Educação e as obras da futura Escola de Turismo e formação de fiscais ambientais.

Tempo

Multimédia