Províncias

Consumo atinge proporções preocupantes

Nicolau Vasco | Menongue

A província do Cuando Cubango está na lista das regiões que mais consome sal não iodizado, por causa de muitos comerciantes grossistas e a retalho ainda insistirem em transaccionar o produto, revelou ontem, em Menongue, Sílvia dos Santos, técnica e membro da Comissão Nacional de Iodização do Sal.

A cidade de Menongue acolhe seminário onde são traçadas novas estratégias para evitar a comercialização e o uso do sal não iodizado
Fotografia: Nicolau Vasco

Ao dissertar no seminário sobre a “Sensibilização sobre Iodização do Sal”, frisou que o nível do consumo de sal não iodizado na província tem estado a subir de forma assustadora.
Por exemplo, explicou que das 25 testagens realizadas, oito resultaram positivas e, com base nesta realidade, constatou-se que a situação é preocupante para o Governo Provincial e para a Comissão Nacional Técnica de Iodização do Sal, entidade que supervisiona a situação do consumo impróprio deste produto.
Desde o ano passado, a província do Cuando Cubango já destruiu mais de 15 toneladas de sal não iodizado. O principal objectivo destas acções é saber o grau de consumo do sal iodizado a nível da província e encorajar a comissão provincial a continuar a supervisionar e fiscalizar o produto comercializado.
A maior quantidade de sal não iodizado consumido no Cuando Cubango vem do exterior e por isso é necessária uma maior fiscalização das entidades competentes para impedir a entrada do produto.
Os gestores das administrações municipais, comunais e outras instituições públicas e privadas, religiosas e tradicionais devem apoiar a comissão provincial de iodização, na sensibilização da população, com vista a elevar o nível de vida dos cidadãos.
Os membros da Comissão Nacional de Iodização do Sal que trabalharam durante dois dias na província, além do seminário, dirigido aos titulares de várias instituições públicas e privadas, realizaram acções de sensibilização com os responsáveis dos estabelecimentos comerciais e de mercados, alunos do ensino médio e do primeiro e segundo ciclos de ensino de Menongue.

Redução de doenças


O vice-governador para o sector Político e Social, Pedro Camelo, considerou importante a persistência nas acções de informação, sensibilização, mobilização e consciencialização de todos, para a redução do risco, bem como a aplicação de recursos que visam baixar as doenças provocadas pela ausência do iodo.
O iodo é um elemento relevante para a saúde do homem, uma vez que contém cloreto de sódio, útil para a sobrevivência dos seres humanos, através da regulamentação de água no organismo, que garante o funcionamento normal do cérebro, do sistema nervoso, manutenção da temperatura do corpo e o crescimento.

Tempo

Multimédia