Províncias

Crianças do Caiundo sem cédulas pessoais

Alzira da Silva| Menongue

Cerca de 90 por cento das crianças da comuna de Caiundo com idades até aos 15 anos não possuem cédulas pessoas, revelou no sábado o administrador local, Jorge Bonifácio Chimanto.

Cerca de 90 por cento das crianças da comuna de Caiundo com idades até aos 15 anos não possuem cédulas pessoas, revelou no sábado o administrador local, Jorge Bonifácio Chimanto.
O administrador comunal, que falava durante o acto que marcou o Dia da Mulher Africana, disse que muitos pais se importam pouco com este direito ao registo de nascimento. Tendo em conta a situação, Jorge Bonifácio salientou que a administração está muito preocupada com o facto de os casos se verificarem com meninos que estejam com mais de 15 anos, dificultando a sua inserção no sistema de ensino.
Uma campanha de sensibilização mais abrangente precisa de ser programada junto das comunidades para que os pais e encarregados de educação possam estar consciencializados sobre a importância do registo de nascimento, defendeu o administrador.
A cerimónia do 31 de Julho incluiu a entrega de kits profissionais, bens agrícolas e bens de combate e controlo do paludismo a 68 parteiras tradicionais e a dez camponeses da parcela do município de Menongue. Dos meios oferecidos constam oito kits profissionais, dez catanas, igual número de enxadas e 300 quilos de sementes de milho e feijão, além de mosquiteiros impregnados com insecticida e cobertores.
A entrega foi feita pela direcção provincial da Família e Promoção da Mulher, numa cerimónia presidida pelo vice-governador, José Maria dos Santos, que felicitou as mulheres africanas pela data, destacando a participação activa da camada feminina nas tarefas de reconstrução nacional e desenvolvimento das famílias.
José Maria dos Santos chamou ainda a atenção da sociedade para a necessidade de denunciar e combater as situações de violência doméstica. Na província, segundo ele, foram registados, desde o princípio do ano, mais de 150 casos.

Tempo

Multimédia