Províncias

Crianças do Rivungo estão protegidas

O vice-governador do Cuando Cubango para o sector político e social defendeu no município do Rivungo, a 661 quilómetros de Menongue, um maior envolvimento de todos os actores sociais, na execução dos "11 compromissos" virados para o bem-estar da criança.

Vice-governador garantiu que a rede de protecção dos direitos da criança vai ser estendida a todos os municípios ainda este ano
Fotografia: Lourenço Bule | Menongue

Pedro Camelo falava no acto provincial do encerramento da semana de reflexão sobre a protecção da criança contra a violência, subordinada ao tema, “A Responsabilidade Paternal”.
O também coordenador executivo do Conselho da Criança disse que no município, todos os actores sociais, instituições públicas e privadas, membros do Conselho de Auscultação e Concertação Social, entidades religiosas e autoridades tradicionais devem participar activamente na concretização dos “11 compromissos”. 
A directora provincial do Instituto Nacional da Criança (INAC) na província do Cuando Cubango, Aida Rosalina, garantiu no município de Rivungo que a rede de protecção dos direitos da criança vai ser estendida a todos os municípios da província ainda este ano.
 Falando no final de um encontro que culminou com a criação da Rede de Protecção da Criança do município do Rivungo, a responsável disse que a província conta agora assim com cinco redes.
Aida Rosalina realçou que a criação da rede no município do Rivungo representa a determinação do Instituto Nacional da Criança  no Cuando Cubango, em continuar a defender e salvaguardar os direitos da crianças. “A criação de mais uma rede de protecção dos direitos da criança, significa que estamos no bom caminho no comprimento dos 11 compromissos”, sublinhou, realçando que o objectivo do INAC na província é continuar a divulgar a lei 25/12 de 22 de Agosto e outros diplomas legais, virados para a protecção dos direitos da criança. O processo vai ser feito através da qualificação dos membros da rede, para dominarem a legislação, servindo de advogados das crianças nas localidades aonde estiverem inseridos.
A responsável do Instituto Nacional da Criança  acrescentou que a rede serve de intermediação e é um mecanismo que articula todas as acções destinadas ao bem-estar social das crianças. No município, a rede tem como coordenador o administrador local, Júlio Vidigal, que é coadjuvado pelo director municipal da Educação.
 Os membros do Conselho de Auscultação e Concertação Social, autoridades tradicionais e eclesiásticas são igualmente parte da rede municipal.

Tempo

Multimédia