Províncias

Cuando Cubango: Província regista diminuição de mordeduras de animais vadios

Weza Pascoal | Menongue

Pelo menos 298 pessoas, entre crianças e adultos, foram vítimas de mordeduras de cães vadios de Janeiro a Junho deste ano no município de Menongue, província do Cuando Cubango, que culminaram com a morte de uma menor de sete anos, devido ao vírus da raiva.

Muitos cães deambulam pelas ruas da cidade de Menongue
Fotografia: DR

O director municipal da Saúde, João Chihinga, disse que houve uma diminuição de 67 ocorrências comparativamente ao mesmo período do ano passado, “fruto das campanhas de sensibilização sobre o perigo de animais de estimação não vacinados deambularem pelas ruas”.

Segundo João Chihinga, no município de Menongue ainda se registam muitas mordeduras de animais vadios. “Temos um projecto para a construção de canis-gatis em Menongue para o albergue de animais vadios. Enquanto esta infra-estrutura não esteja arguida temos de criar urgentemente alternativas para o abate de dezenas de cães que todos os dias deambulam pelas diversas artérias da cidade”, disse.

João Chihinga acrescentou que, no mesmo período, foram administradas 894 vacinas a vítimas de mordeduras em unidades sanitárias e através do Programa Alargado de Vacinação (PAV), sendo as crianças as mais afectadas. “Os pais e encarregados de educação devem redobrar o controlo sobre as crianças, tendo em conta que estas são mais vulneráveis aos ataques destes animais”, aconselhou .

Tempo

Multimédia