Províncias

Cuando Cubango forma gestores turísticos

Carlos Paulino | Menongue

A Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Cuando Cubango, uma das unidades orgânicas da Universidade Cuito Cuanavale, vai colocar à disposição do mercado de trabalho, no próximo ano académico, os primeiros 30 licenciados no curso de Gestão Turística, prontos para responder às necessidades do mega projecto turístico internacional Kavango/Zambeze, que nesta província ocupa uma área de 89.097 quilómetros quadrados.

Estudantes do terceiro ano do curso de Gestão Turística demonstraram na prática as matérias que aprenderam durante o primeiro semestre
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro | Cuando Cubango

O decano da instituição académica, José Eduardo Ezequias, que falava durante uma aula prática sobre habilidades gastronómicas, disse que os estudantes inscritos no curso de Hotelaria e Turismo estão a ser preparados ao pormenor, com aulas teóricas e práticas, para que no fim estejam prontos para servir o mercado de trabalho.
Os 30 estudantes do quarto ano vão frequentar, no próximo mês de Julho, um estágio como guias turísticos em agências de viagem na província da Huíla, por inexistência destes serviços no Cuando Cubango.
Salientou que o período de estágio servirá também para os estudantes prepararem as suas monografias de fim de curso, para, no mês de Março de 2018, realizarem a pré-defesa, e, em Setembro do mesmo ano, a defesa final.
“Está a ser feito neste momento um conjunto de esforços para que estes estudantes terminem o curso de Gestão Turística com qualidade e possam dignificar a Universidade Cuito Cuanavale e a província do Cuando Cubango em geral”, disse. José Eduardo Ezequias defendeu a necessidade urgente da construção de um hotel-escola na província do Cuando Cubango, para que os estudantes possam receber aulas práticas e facilitar a sua inserção no mercado de trabalho.
Fez saber que no presente ano académico estão matriculados na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Cuando Cubango um total de 225 estudantes, do primeiro ao quarto ano, e que as aulas são assegurados por 14 professores, dos quais nove cubanos e cinco angolanos. Do número de docentes, acrescentou, três são doutores, oito mestres e três licenciados.
José Eduardo Ezequias realçou que a instituição que dirige, criada em 2013, tem como objectivo principal formar gestores turísticos, que possam trabalhar e potenciar a província do Cuando Cubango, no quadro do projecto transfronteiriço Kavango/Zambeze (KAZA), que, a par de Angola, integra o Botswana, Namíbia, Zâmbia e Zimbabwe.
“O país tem um grande défice de quadros formados no domínio da Hotelaria e Turismo, por esta razão criaram-se as escolas superiores de Hotelaria e Turismo de Luanda, Malanje e do Cuando Cubango”, destacou. A Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Cuando Cubango, acrescentou, tem registado, nos últimos dois anos, grande adesão de candidatos de várias províncias do país, para ingressarem no curso de Gestão Turística. Lamentou o facto de não haver muitas vagas, por causa do número reduzido de professores.

Mostra de gastronomia

José Eduardo Ezequias mostrou-se satisfeito com a mostra de habilidades gastronómicas que os estudantes do terceiro ano do curso de Gestão Turística realizaram e que serviu para demonstrarem na prática as matérias que aprenderam durante o primeiro semestre deste ano, sobretudo em termos de culinária e serviço de mesa.
“Ficámos satisfeitos pela apresentação da referida mostra de gastronomia, tendo em vista que verificámos que os estudantes demonstraram grande nível de capacidade daquilo que os professores transmitiram e que serão no futuro bons gestores turísticos”, disse.
Explicou que os estudantes, a partir do terceiro ano, realizam aulas práticas todas as sexta-feiras nas unidades hoteleiras e restaurantes na cidade de Menongue, bem como actividades na área protocolar e de relações públicas do governo da província, no sentido de conciliarem a teoria à prática.
Elogiou a boa colaboração que a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Cuando Cubango tem com as distintas unidades hoteleiras, restaurantes e algumas instituições do governo provincial, para que os estudantes desenvolvam as suas habilidades.

Tempo

Multimédia