Províncias

Destruídos medicamentos fora do prazo de validade

Manuel Pascoal | Menongue

A direcção provincial do Kuando-Kubango da Polícia Económica destruiu, na segunda-feira, em Menongue, várias toneladas de medicamentos e de outros produtos financeiros, com prazos de validade expirado.

A Polícia Económica no Kuando-Kubando destruiu toneladas de medicamentos
Fotografia: Manuel Pascoal | Menongue

A direcção provincial do Kuando-Kubango da Polícia Económica destruiu, na segunda-feira, em Menongue, várias toneladas de medicamentos e de outros produtos financeiros, com prazos de validade expirado.
Ao todo, foram inutilizadas 5.650 toneladas de hipoclorito de sódio e 23.834 de vários medicamentos, 4.700 seringas, 540 frascos de cloreto de benzalcónio e tintura de iodo.
O chefe de inspecção da Polícia Económica revelou que os produtos destruídos foram apreendidos, em 2007, no hospital central da cidade, no momento em que estavam a ser ministrados e que processo só agora foi consumado devido a procedimentos jurídicos. Domingos Pedro lamentou a falta de agentes na Polícia Económica, tendo em conta a extensão e a complexidade territorial da província.
O director clínico do hospital central de Menongue disse que os responsáveis pelo uso dos produtos fora do prazo de validade já foram responsabilizados criminal e judicialmente.
João Chiinga recordou que os fármacos, agora destruídos, chegaram a Menongue, em 2006, durante o surto de cólera, e que os prazos de validade expiraram no ano seguinte.
O hospital recebeu uma quantidade de produtos acima da expectativa, o que resultou na sobra de muitos medicamentos, frisou.
João Chiinga esclareceu que “a farmácia na época tinha apenas um técnico básico”, mas que actualmente dispõe de um técnico superior.

Tempo

Multimédia