Províncias

Dezenas de animais abatidos diariamente

Carlos Paulino | Menongue

Mais de cem animais são abatidos diariamente na província do Kuando-Kubango, por caçadores furtivos, denunciou quinta-feira o chefe de brigada do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF), Salomão Chaúto.

Mais de cem animais são abatidos diariamente na província do Kuando-Kubango, por caçadores furtivos, denunciou quinta-feira o chefe de brigada do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF), Salomão Chaúto.
“Diariamente são abatidos mais de 100 animais, para consumo humano e um número indeterminado de árvores são derrubadas por carvoeiros”, denunciou o responsável provincial do Instituto de Desenvolvimento Florestal.
O IDF no Kuando-Kubango, acrescentou, tem apenas 29 fiscais para cobrir uma extensão territorial de aproximadamente 200 mil quilómetros quadrados.
Em relação ao abate indiscriminado de animais, a preocupação é ainda maior, pelo facto de se estar num período de reprodução.
“O javali, a palanca branca e as cabras do mato são as espécies abatidas com maior frequência”, disse o chefe do IDF, acrescentando que, em coordenação com o departamento do Ambiente e outras estruturas do governo, estão a ser estudados mecanismos para punir, com pesadas multas, todas as pessoas que forem encontradas a praticar acções prejudiciais à natureza.
Salomão Chaúto afirmou que, no decurso do presente ano, a população local solicitou às autoridades no sentido de se destacarem fiscais para as zonas de Licua, Tchipundo, Mucusso, Nerequinha, onde os elefantes estavam a causar enormes prejuízos às culturas.
O chefe de brigada provincial do Instituto de Desenvolvimento Florestal defendeu, em Menongue, a necessidade de se evitarem todas as práticas prejudiciais que colocam em risco o meio ambiente.

Tempo

Multimédia