Províncias

Elefantes atacam lavras afugentando a população

Carlos Paulino | Mavinga

Os habitantes da aldeia comunal do Licua, no município de Mavinga, a cerca de 600 quilómetros da cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, estão a abandonar aquela localidade devido aos constantes ataques de elefantes que devastam as suas culturas.

Os habitantes da aldeia comunal do Licua, no município de Mavinga, a cerca de 600 quilómetros da cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, estão a abandonar aquela localidade devido aos constantes ataques de elefantes que devastam as suas culturas.
 O administrador municipal adjunto de Mavinga, Mateus Cirilo, disse ontem que, face à situação, muitas pessoas estão a procurar segurança e subsistência nos municípios de Rivungo e Dirico, localidades limítrofes à Zâmbia e Namíbia.
Neste momento, disse o responsável, a população que ficou na aldeia comunal do Licua está a atravessar uma situação de penúria alimentar, porque os elefantes devastaram todas as culturas, deixando-a sem meios de sobrevivência, razão pela qual clama por uma intervenção urgente.
 Mateus Cirilo defendeu a necessidade do governo provincial criar políticas para minimizar a situação actual que a população está a viver, e conter a fúria destes animais que se tinham refugiado no Botswana, devido à guerra que assolou o país, estando actualmente a regressar para o seu habitat natural: o Licua.
 O administrador adjunto sublinhou que há casos em que os camponeses tentam pernoitar nas suas lavras para proteger as suas culturas, mas os mesmos acabam por desistir, uma vez que os animais, na procura de alimento para saciar a fome, agem com muita brutalidade a qualquer obstáculo que encontram.
 Por essa razão, Mateus Cirilo considerou que tem sido uma grande luta pela sobrevivência entre homens e animais selvagens, com realce para os elefantes que mais prejuízos causam à população.
“Não sabemos como comnater este mal, mas tem de se encontrar uma solução. A situação não pode continuar assim”, disse.

Tempo

Multimédia