Províncias

Escola Superior lança primeiros licenciados

Domingos Mucuta | Menongue

Os primeiros licenciados em formação na Escola Superior Politécnica (ESP) de Menongue, Ku­ando-Kubango, terminam no próximo ano académico a sua formação.

A direcção da escola adoptou a estratégia de acompanhamento dos estudantes mais destacados para serem monitores
Fotografia: Nicolau Vasco|Menongue

Os primeiros licenciados em formação na Escola Superior Politécnica (ESP) de Menongue, Ku­ando-Kubango, terminam no próximo ano académico a sua formação, anunciou nessa cidade o director-geral da instituição de ensino, da Universidade Mandume ya Ndemofayo, adstrita à Sexta Região Académica.
 Nafilo Makaia Dorys disse, em exclusivo ao Jornal de Angola, que os primeiros licenciados concluem no próximo ano académico o curso de Ciências de Educação, na especialidade de Biologia, curso frequentado actualmente por 23 estudantes no 4º ano.
O mesmo responsável revelou que a Escola Superior Politécnica, que arrancou em 2009 com 60 estudantes e nove salas de aula, conta nesta época com 12 salas, que albergam 1.120 estudantes, matriculados nos três turnos nas especialidades de Matemática, Enfermagem e Biologia.
 O processo de ensino e aprendizagem é garantido por 34 professores cubanos e um angolano. A direcção da escola adoptou a estratégia de acompanhamento dos estudantes mais destacados para serem monitores de algumas disciplinas como forma de diminuir a carência de professores.
 “A partir do 4º ano analisamos as fichas académicas dos estudantes. Aqueles que apresentarem médias iguais ou superiores a 14 valores são propostos e acompanhados como monitores para depois serem admitidos no escalão de professores assistentes estagiários”, argumentou.
Nafilo Makaia Dorys, avançou que está previsto para o próximo ano lectivo a abertura do novo curso de engenharia informática, argumentando que a direcção envida esforços, com o governo local, para a instalação até Dezembro próximo dos equipamentos do laboratório de especialidade.
 
Novas infra-estruturas


Nafilo Makaia Dorys disse, ainda, que a construção das novas infra-estruturas para albergar o Polo Universitário de Menongue oferece muitas vantagens, porque vai aumentar o número de salas de aula e a possibilidade para abertura de mais cursos.
A nova infra-estrutura concebida para o Pólo Universitário de Menongue, que se encontra em construção nos arredores da cidade, vai custar aos cofres do Estado 22 milhões de dólares. O director da Escola Superior Politécnica de Menongue, Nafilo Makaia Dorys, acrescentou que nesse momento a empreiteira encarregada de construir o edifício está a realizar estudos do solo, a fim de apurar a sua fiabilidade.
As futuras instalações vão dispor de 50 salas de aula, áreas administrativas, parque de estacionamento, campos polivalentes, anfiteatro para 400 pessoas e outros compartimentos, cujos trabalhos vão durar 18 meses. O director da Escola Superior Politécnica sublinhou que a entrada em funcionamento do novo edifício vai alargar o leque de cursos previstos na Escola.
Nafilo Makaia Dorys acrescentou que nas áreas de Ciências de Educação o novo espaço combinado com o aumento do quadro docente vai permitir a abertura das especialidades de Linguística Portuguesa, Inglesa, Francesa, Pedagogia, História, Sociologia, Física e Química.
Este responsável sublinhou que estão previstas, no domínio da Engenharia, as especialidades de Construção Civil, Electricidade, Agronomia, Medicina Veterinária e Administração e Gestão.
Segundo o director da Escola Superior Politécnica, tão logo aconteça a abertura da instituição, na área da Medicina vãs ser incluídas as Análises Clínicas, Electromedicina, Saúde Pública e Psicologia Clínica. A Universidade Mandume, adstrita à Sexta Região Académica, criada em 2009,  abrange as províncias da Huíla, Kuando-Kubango, Namibe e Cunene, e conta com mais de cinco mil estudantes.

Tempo

Multimédia