Províncias

Escolas em Menongue registam absentismo

Weza Pascoal | Menongue

As escolas do ensino primário e do segundo ciclo da cidade de Menongue, na província do Kuando-Kubango, registaram, até sexta-feira, um elevado índice de absentismo de alunos e professores nas salas de aulas.

Além da ausência das crianças muitos professores ainda não começaram a trabalhar
Fotografia: Weza Pascoal | Menongue

As escolas do ensino primário e do segundo ciclo da cidade de Menongue, na província do Kuando-Kubango, registaram, até sexta-feira, um elevado índice de absentismo de alunos e professores nas salas de aulas.
Em diversos estabelecimentos de ensino, o Jornal de Angola constatou que, além da ausência das crianças, muitos professores também ainda não começaram a trabalhar. É o caso da escola primária 4 de Fevereiro, em que apenas o director, dois  professores e perto de 20 alunos estiveram na instituição.
O director do centro pré-universitário 22 de Novembro, Inocêncio Herculano, disse que, apesar de terem todas as condições criadas para o arranque das aulas, desde a abertura do ano lectivo, no dia 5 deste mês, há uma fraca afluência de alunos.
Inocêncio Herculano responsabilizou os pais e encarregados de educação pela situação e fez um apelo no sentido de, a partir de amanhã, todas as crianças se apresentarem nas salas, para evitar faltas e outros constrangimentos.

Novas salas

O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Miguel Canhime Cazavubo, revelou que 69 novas salas de aulas entraram em funcionamento, neste ano lectivo, para reforçar o sector do ensino. As salas fazem parte de 15 escolas do ensino primário e uma do 1º ciclo, inauguradas em finais do ano passado.
Actualmente, a província do Ku­ando-Kubango dispõe de 138 escolas, correspondendo a 627 salas, que albergam mais de 220 mil  alunos dos diferentes subsistemas de ensino.
O funcionamento das escolas, salientou, é assegurado por uma força de trabalho composta por 215 directores e subdirectores, e por 4.868 professores que, no desempenho das suas funções, vão ser fiscalizados por nove inspectores.

Tempo

Multimédia