Províncias

Escolas fecham por ausência de professores

Nicolau Vasco | Menongue

Um total de 40 escolas do primeiro e segundo ciclos do ensino secundário, construídas nos últimos quatro anos na província do Cuando Cubango, foi encerrado por falta de professores, informou, na quarta-feira, na cidade de Menongue, o director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia.

Encontro serviu para auscultar os principais problemas que enfrentam as instituições escolares
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

Miguel Kanhime anunciou o facto no final de um encontro que o vice-governador para o Sector Político e Social, Pedro Camelo, manteve com os directores e subdirectores das escolas do I e do II ciclos do ensino secundário do município de Menongue, para auscultar os principais problemas que enfrentam os estabelecimentos de ensino.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia disse que muitas destas infra-estruturas encerradas estão a ser alvo de vandalismo, com realce para o roubo de portas e janelas, porque se encontram abandonadas.
Para inverter o actual quadro, Miguel Kanhime defendeu a realização de um concurso público urgente para a admissão de novos professores e fazer com que estas escolas funcionem em pleno, com todo o seu aparato, pois, assim, os marginais não terão como invadir infra-estruturas que custaram somas avultadas aos cofres do Estado. Na província do Cuando Cubango, mais de 20 mil crianças encontram-se fora do sistema normal de ensino. A falta de professores concorre para este mal.
Uma outra situação que preocupa a Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia está relacionada com os actos de pilhagem do património público, fruto da insegurança que se faz sentir nas escolas, por falta de  guardas.”Aumentaram os actos de vandalismo, assim que demos fim ao contrato com as empresas de segurança, que protegiam algumas escolas, por causa da situação financeira que o país atravessa”, disse. 
Os meliantes retiram das escolas material didáctico, carteiras, portas e janelas. As unidades estudantis dos municípios de Menongue, Cuchi e Cuito Cuanavale são as mais visadas. Para se pôr cobro a estes actos, disse, o governo da província está a envidar esforços junto do Comando Provincial da Polícia Nacional e de autoridades tradicionais para encontrar a melhor forma de inverter-se o quadro, com vista a garantir a segurança das infra-estruturas.

Tempo

Multimédia