Províncias

Escolas trocadas pela agricultura

Alzira da Silva | Menongue

O governador provincial do Kuando-Kubango, Eusébio de Brito Teixeira, está preocupado com o elevado índice de absentismo de professores e alunos em nove escolas do ensino primário, em zonas rurais do município de Menongue, uma vez que está próxima a época de exames. Os alunos e professores abandonam as escolas para trabalharem nas lavras.   

Poucas escolas funcionam nas áreas rurais de Menongue por falta de alunos e professores
Fotografia: Jornal de Angola

O governador provincial do Kwando-Kubango, Eusébio de Brito Teixeira, disse, na quarta-feira, estar preocupado com o elevado índice de absentismo de professores e alunos em nove escolas do ensino primário, em zonas rurais do município de Menongue, uma vez que o referido nível está em época de exames.
Durante uma visita de campo, ao longo da qual esteve acompanhado pelo director provincial da Educação, pelo inspector da Educação e pelo administrador municipal, Eusébio de Brito Teixeira constatou que as escolas das aldeias da Muhica, Cavanga, Capico Missão, Ntopa, Mulemba e Mucundi estavam encerradas por falta de alunos e de professores, ao passo que a de Mbimbi funcionava com pouco mais de 30 alunos e três professores e a de Capico Bairro com menos de 30 alunos e um professor.
O governador disse que na parte Leste da província, nos municípios de Mavinga, Rivungo e Cuchi, constatou o interesse dos alunos em aprender e dos professores em ensinar, em condições não comparáveis às de Menongue, não entendendo o porquê do absentismo de professores e alunos.
De acordo com o governador, há directores que não aparecem nos locais de serviço há mais de dois meses e certos encarregados de educação levam os filhos para as lavras e pasto, o que tem provocado a ausência dos mesmos das escolas, facto que também tem contribuído para a ausência dos professores. Pediu, por isso, às autoridades tradicionais e igrejas para sensibilizarem os encarregados de educação no sentido de levarem as crianças à escola, para que no futuro sejam motivo de orgulho para os pais e para a própria localidade.
O director provincial da Educação, Manuel Kafussa, explicou que, desde Agosto, tem estado a constatar o elevado grau de abandono das escolas, facto muito preocupante, uma vez que o sector da Educação tem-se esforçado por proporcionar à sociedade todos os recursos necessários para que a educação chegue às crianças.

Tempo

Multimédia