Províncias

Executivo reabilita Hospital Geral

Weza Pascoal | Menongue

O Executivo vai investir, este ano, na reabilitação, ampliação e apetrechamento do Hospital Geral do Kuando-Kubango, em Menongue.  A verba para a reabilitação do hospital está inscrita no Programa de Investimentos Públicos (PIP). Com as obras das instalações hospitalares arranca igualmente a construção de  24 vivendas para alojar os médicos, uma nova morgue e um parque de estacionamento.

Obras de reabilitação começa em breve
Fotografia: Jornal de Angola

O Executivo vai investir, este ano, na reabilitação, ampliação e apetrechamento do Hospital Geral do Kuando-Kubango, em Menongue.  A verba para a reabilitação do hospital está inscrita no Programa de Investimentos Públicos (PIP). Com as obras das instalações hospitalares arranca igualmente a construção de  24 vivendas para alojar os médicos, uma nova morgue e um parque de estacionamento.
Para esta empreitada, o governo da província contratou uma empresa espanhola de construção civil, a “Makiber”, que já está no local a reparar a rede de drenagem e a preparar uma área do hospital onde vão ser instaladas várias naves provisórias para aos doentes acamados.
O encarregado de obras da empresa, Manuel Ribeiro Teixeira, lembrou que o hospital vai ser ampliado para uma área de 14 mil metros quadrados. Sublinhou que a capacidade de internamento passa de 150 para 200 camas. Os trabalhos de construção de novas dependências e a remodelação da parte antiga começam durante este trimestre. Actualmente, o Hospital de Menongue, construído na década de 50, com uma capacidade de internamento de 150 camas, não tem condições para atender as centenas de doentes que diariamente afluem aos serviços de urgência e às consultas externas.
A principal unidade sanitária da província do Kuando-Kubango registou em 2012 um total de 779 mortes hospitalares provocadas por malária, doenças respiratórias agudas, mal nutrição e Sida. Na Pediatria morreram 497 crianças menores de cinco anos.
O director do Hospital Geral do Kuando-Kubango, João Chihinga Solochi, disse ao Jornal de Angola que no ano passado, o número de mortes pelas mesmas causas aumentou, em relação a 2011, período em que se verificaram 760 mortes hospitalares, entre as quais 398 crianças menores de cinco anos.
A direcção do hospital viu-se forçado a transferir provisoriamente os serviços de pediatria e de maternidade para os centros de saúde na periferia da cidade de Menongue. A grande afluência de doentes está a criar grandes transtornos aos serviços.
“Como estamos na época das chuvas e o pico da malária atingiu o seu nível mais alto e, em consequência disso, o número de pacientes no banco de urgência também aumentou. Chegamos a internar diariamente entre 20 a 25 doentes”, disse o director do Hospital Geral do Kuando-Kubango, João Chihinga Solochi
O hospital Provincial do Kuando-Kubango dispõe de um copo clínico suficiente. Recentemente foi reforçado com mais 12 médicos, elevando para 22 o número existente.  

Tempo

Multimédia