Províncias

Falta de comida ameaça milhares

Carlos Paulino| Menongue

Mais de 50 mil pessoas da província do Cuando Cubango têm escassez de alimentos, devido à estiagem que atinge alguns municípios, anunciou o director provincial em exercício do Ministério da Assistência e Reinserção Social (MINARS).

Governo da província trabalha para incrementar a actividade agrícola nas regiões afectadas
Fotografia: Augusto Braga

Os municípios mais afectados são os de Cuangar, Calai, Dirico, Rivungo, Mavinga e Nancova que necessitam do apoio urgente para debelar a situação provocada por este fenómeno natural.
José Martins disse, num encontro da comissão técnica de estiagem, dirigida pelo vice-governador para o sector económico e produtivo, que devido à sua localização as zonas afectadas sofrem a influência do deserto do Kalahari, Namíbia, fenómeno que se regista de dois anos nesta parte do Cuando Cubango, onde as temperaturas variam entre 30 e 40 graus.
O director do MINARS declarou que houve necessidade de realizar um encontro de emergência para avaliar os resultados provocados naqueles municípios e traçar medidas para a mobilização de recursos financeiros ou bens alimentares para atenuar o sofrimento população.
Os membros da comissão técnica sublinharam a importância necessidade de se fazer um trabalho pedagógico nas comunidades sobre as vantagens da agricultura nas zonas ribeirinhas para manter as suas culturas e alimentos.
José Martins, que mencionou o potencial da província em termos hídricos, disse que em função disso os camponeses devem tirar proveito deste potencial, cultivando em zonas mais baixas para não dependerem apenas das chuvas.

População afectada


No ano passado, 77.641 mil pessoas da província foram afectadas pela estiagem, o que levou o Executivo, por intermédio do MINARS e da Comissão Nacional de Protecção Civil e Bombeiros, a enviar para o Cuando Cubango mais de 67 toneladas de alimentos  para as vítimas da seca. José Martins disse ser urgente que se voltem a mobilizar meios para minimizar as dificuldades de 55 mil pessoas afectadas pela estiagem e que o Governo Provincial não tem capacidade para dar resposta à situação.
O vice-governador provincial para o sector económico e produtivo, Ernesto Kiteculo, afirmou que estão a ser desenvolvidos esforços para a chegada urgente de apoio aos sinistrados, muitos dos quais não têm de comer e alimentam-se apenas de tubérculos.
Outra atenção do Governo Provincial é o incremento da actividade agrícola e pecuária nas localidades mais afectadas pela estiagem, tendo em conta a presença de grandes rios que há Cuando Cubango.

Tempo

Multimédia