Províncias

Falta de docentes deixa estudantes sem aulas

Weza Pascoal | Menongue

A direcção da Educação, Ciência e Tecnologia controla, no Cuando Cubango,  quatro mil professores,   número insuficiente para suportar a procura dos últimos anos, disse ontem, em Menongue, o director provincial da Educação.

Miguel Canhime referiu que a província tem muitas escolas, algumas com alunos já matriculados, mas a falta de professores faz com que muitos  estudantes fiquem sem aulas.
O director referiu que antes do ano 2002, a província contava apenas com   50 escolas, tendo esse número crescido para 272 estabelecimentos de ensino, perfazendo um total de 1.311 salas de aulas.
Com a criação destas salas, a província conseguiu matricular mais de 200 mil alunos em diferentes subsistemas de ensino, salientou o responsável da Educação. 
 Miguel Canhime disse que a falta de professores   preocupa  as autoridades do sector, tendo em conta que a província continua  a registar novas crianças em idade escolar, mas sem possibilidades de entrar para o sistema normal de ensino por falta de professores.
O director provincial explicou que a situação é também resultado do facto de o Cuando Cubango estar  há mais de cinco anos sem realizar concursos públicos  para admissão de  professores.
Até 2002, o Cuando Cubango dispunha de dois institutos médios, mas, actualmente, conta com oito escolas deste nível de ensino, informou Miguel Canhime.

Tempo

Multimédia