Províncias

Falta de segurança nos locais de trabalho foi abordada em palestras em Menongue

Manuel Pascoal | Menongue

A chefe de departamento provincial do Kuando-Kubango do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS) manifestou-se preocupada, na segunda-feira, em Menongue, pelo facto de algumas empresas teimarem em não organizar os seus serviços para a segurança dos trabalhadores.

Exemplo de um trabalhador de construção civil bem equipado
Fotografia: Nicolau Vasco

A chefe de departamento provincial do Kuando-Kubango do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS) manifestou-se preocupada, na segunda-feira, em Menongue, pelo facto de algumas empresas teimarem em não organizar os seus serviços para a segurança dos trabalhadores, “porque acham a aquisição de equipamentos de protecção como um investimento desnecessário”.
 Joaquina Lichone Calenga fez estas declarações durante o encerramento da XVI Semana Nacional de Inspecção-Geral do Trabalho, que decorreu sob o lema “Reduzir os riscos de acidente nos locais de trabalho, para uma vida laboral saudável”.
O MAPESS, por intermédio da Inspecção-Geral de Trabalho, vai intensificar as suas acções de prevenção de acidentes de trabalho e doenças profissionais, exigindo o cumprimento das normas de segurança, higiene e saúde nas empresas, com vista a tornar os locais de trabalho mais seguros, garantiu aquela responsável.
 A Lei Constitucional da República vigente no país consagra aos trabalhadores o direito à organização, prestação e protecção de trabalho em condições socialmente dignificantes, no sentido de facultar a actividade profissional com qualidade e segura, recordou Joaquina Lichone Calenga. “É necessário que nós continuemos a redobrar esforços no sentido de chamar a atenção às entidades empregadoras, com vista a adquirirem equipamentos de protecção individual e colectiva, para que, num curto espaço de tempo, se reduzam os riscos de acidentes nos locais de trabalho”, disse.
 A chefe de departamento do MAPESS realçou, ainda, que a maior parte dos trabalhadores de construção civil estão expostos ao contágio de produtos químicos durante a sua actividade laboral, devido à falta de equipamentos adequados, situação que tem constituído uma grande preocupação para o seu sector.
 Durante a XVI Semana Nacional de Inspecção-Geral do Trabalho no Kuando-Kubango foram realizadas várias actividades, com realce para palestras sobre o VIH/Sida, acidentes no local de trabalho e dever e direitos dos trabalhadores.

Tempo

Multimédia