Províncias

Fazendas vão desenvolver a região

Nicolau Vasco | Menongue

Os trabalhos preliminares para a implementação do projecto integrado agropecuário de 30 fazendas e de exploração de ferro gusa, no município do Cuchi, estão numa fase adiantada, apurou na segunda-feira o Jornal de Angola durante uma visita do governador Higino Carneiro.

Fornos siderúrgicos vão ser instalados para explorar ferro gusa ainda este ano no município
Fotografia: Lourenço Bule

A empreitada começou em Maio e a primeira fase deve terminar em Dezembro desde ano, informaram os técnicos envolvidos nos trabalhos do projecto.
Durante algumas horas, Higino Carneiro constatou o grau de execução das várias infra-estruturas que vão garantir a  implementação dos projectos, considerados vitais para a província no âmbito da diversificação da economia.
O governador provincial visitou as obras do aeródromo, onde já foram concluídos 2.300 metros de pista, dos 2.700 previstos, a área residencial para os trabalhadores da siderurgia, o espaço onde vai ser instalada a primeira fazenda agropecuária, das 30 previstas, bem como a zona para a montagem dos altos fornos para a exploração do ferro gusa e outros derivados, num total de 200 hectares. A Indústria de Exploração de Ferro Gusa resulta de uma parceria entre as empresas Modulax, Ferrangol e Sociedade Mineira do Cuando Cubango e calcula-se que a sua produção venha a rondar, numa primeira fase, as 500 toneladas por ano.
 O responsável da empresa LM, Artur de Assunção, garantiu ao governador provincial que até Novembro deste ano  são construídas 50 suites num espaço de 1.200 metros quadrados.
 “Na zona residencial estão a ser feitos  trabalhos de terraplenagem, os aquedutos para águas residuais, a canalização, refeitórios, balneários, zona de lazer e  um campo multiusos.”Os equipamentos para as obras de instalação dos altos fornos, para a exploração do ferro gusa, estão já a caminho do Cuando Cubango, provenientes do Brasil, e devem ser montados ainda este ano.
O projecto de 30 fazendas agropecuárias, numa área aproximada de 160 mil hectares para a criação de gado bovino, vai ser desenvolvido por uma empresa brasileira do grupo Costa Negócios, em parceria com o Executivo angolano, e vai ter capacidade para 240 mil animais. A administradora do Cuchi, Verónica Mutango, garantiu todo o apoio institucional à implementação dos projectos e explicou que as comunidades estão a ser sensibilizadas para a importância das obras.

Tempo

Multimédia