Províncias

Formados 199 professores para o ensino primário

Lourenço Bule | Menongue

Ao todo, 199 professores do ensino primário foram formados nos últimos cinco anos, no Cuando Cubango,  pelo Magistério afecto à organização não governamental angolana  Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP) no Cuando Cubango.

Quase duas centenas de jovens de várias províncias foram formados em Menongue para dar aulas em comunidades
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro | Menongue

A informação foi prestada ontem  ao Jornal de Angola, pelo director da escola , Walter Alexandre, salientando que entre os formandos, há habitantes das províncias do Cunene, Bié, Huambo e Benguela .  Os novos professores  do Cuando Cubango são  provenientes dos municípios de Menongue, Cuito Cuanavale, Cuchi, Cuangar, Calai, Mavinga e Dirico.
Dos 199 professores formados, 65 por cento foram admitidos no recente concurso público realizado pelo Ministério da Educação para leccionarem em zonas suburbanas e rurais.
A formação, segundo Walter Alexandre, foi assegurada por 16 docentes, “número bastante ínfimo,  atendendo aos desafios preconizados.”  Nesta senda de formação, a ADPP  capacitou, de 2013 a 2017, 15 docentes do ensino primário de distintas escolas da província. “O ciclo forma-tivo de professores tem sido realizado em parceria com o Ministério da Educação, que tem a obrigação de fazer o enquadramento dos técnicos”, disse.
 O director do Magistério informou que, para o ingresso no curso de Formação de Professores, os candidatos devem ter como principal requisito 18 a 25 anos de idade, 9ª classe concluída e comprometer-se por escrito a dar aulas nas comunidades, particularmen-te a crianças.
Durante o primeiro ano de formação, os alunos são obrigados a sair da zona de conforto para terem contacto directo com as comunidades. No segundo ano, são submetidos a aulas teóricas e práticas de Pedagogia e, no terceiro, enviados para uma comunidade  onde lhes são atribuídas as turmas para leccionar.
“A formação de professores começou em 2013, altura em que a instituição entrou em funcionamento na província, e tem a duração de três anos”, disse, acrescentando que a escola de Magistério da ADPP forma apenas professores do ensino primário.

Trabalho  nas comunidades
O director do Magistério da ADPP disse que, durante o ciclo formativo, os professores são preparados para intervirem  nos sectores de  Saúde Pública, Agricultura, Energia e Águas, entre outros das comunida-des. “Além de leccionarem, os professores que formamos são capacitados para ajudarem as populações a resolver os diversos problemas típicos  das zonas rurais”, frisou Walter Alexandre.
Walter Alexandre adiantou que, durante o período de estágio, os professores que se deslocam a áreas longínquas para leccionar e trabalhar com as comunidades nos mais variados domínios não recebem nenhum subsídio.

Infra-estruturas
Walter Alexandre disse que a Escola do Magistério da ADPP, localizada na comuna do Missombo, a 18 quilómetros de Menongue, funciona em condições precárias, por estar  apenas com 95 por cento de execução física, desde 2013 que as obras arrancaram. “O governo provincial prometeu disponibilizar uma verba para terminar as obras no próximo ano”, disse.
A referida infra-estrutura conta com oito salas de aula, três  dormitórios de 90 camas para os alunos, um dormitório para 27 professores, uma zona administrativa com 12 gabinetes, uma lavandaria, um anfiteatro para 500 pessoas, dois campos multiusos, um refeitório e uma área de lazer.

Tempo

Multimédia