Províncias

Formados novos professores

Alexandre Ndala | Menongue

A escola de formação de professores “Mwene Vunongue”, na cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, formou este ano 402 professores, que concluíram com êxito os cursos de Geografia-História, Biologia-Química, Educação Primária e Matemática-Física.

Kuando-Kubango conta com mais professores para para reforçar o processo de ensino
Fotografia: Jornal de Angola

A escola de formação de professores “Mwene Vunongue”, na cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, formou este ano 402 professores, que concluíram com êxito os cursos de Geografia-História, Biologia-Química, Educação Primária e Matemática-Física.
Dos recém-formados, 40 finalizaram o curso no núcleo do município do Cuito Cuanavale e 27 no Cuchi. O director pedagógico da referida escola, Joaquim André, realçou a importância de se continuar a investir na formação, em particular dos jovens, como factor determinante para o desenvolvimento do país.
“É um grande júbilo para nós ver a sair da nossa instituição jovens que estão a ser integrados rapidamente no mercado de trabalho e outros a darem continuidade aos seus estudos em diversas universidades do país”, afirmou o responsável. Joaquim André lamentou o facto de se registar uma falta gritante de locais de pesquisa, com realce para laboratórios e bibliotecas, onde os alunos possam adquirir mais conhecimentos e aliar a teoria à prática.
O chefe de departamento de administração e gestão da direcção provincial da Educação, Sostens Candeia, encorajou os recém-formados a continuarem a sua formação académica, para que no futuro Angola e em particular a província do Kuando-Kubango possam ganhar novos quadros de nível superior. Referiu que os cursos de Geografia-História, Biologia-Química, Educação Primária e Matemática-Física fazem parte de um conjunto de carências no domínio da carreira profissional na província do Kuando-Kubango.
Lourdes Nhama Cambinda, finalista do Curso de Biologia e Química, disse estar satisfeita e preparada para o mercado de trabalho, uma vez que a província carece de quadros nesta especialidade. Acrescentou que pretende dar continuidade aos seus estudos no próximo ano académico, na escola superior de Menongue.

Tempo

Multimédia