Províncias

Fraca adesão aos Serviços de Correios

Carlos Paulino | Menongue

O director provincial da Estação Central dos Correios de Angola no Cuando Cubango, Rui Marcelo, manifestou-se, na cidade de Menongue, preocupado pela fraca adesão da população aos serviços prestados pela sua instituição.

Estação permite à população e sobretudo aos empresários enviar dados ou documentos urgentes e sem constrangimentos e a baixo custo
Fotografia: Carlos Paulino | Wako-Kungo

A Estação Central dos Correios de Angola do Cuando Cubango foi reaberta em 2012, depois de cerca de 15 anos inoperante devido à guerra que assolou o país e que neste momento está devidamente apetrechada com meios tecnológicos modernos, mas, apesar disso, encontra-se praticamente às moscas, devido à falta de hábito das pessoas em aderir aos seus serviços.
A Estação dos Correios presta serviços de venda de taxa de circulação, recargas telefónicas, selos e livros, pagamento de seguro automóvel e de sinal de parabólica, aceitação e entrega de correspondência, encomendas, entre outros afazeres.
O edifício tem uma sala equipada com computadores ligados à Internet, um espaço reservado para o Banco de Poupança de Crédito (BPC) e uma residência do tipo T-3 para o director provincial.
A Estação permite à população e sobretudo aos empresários enviar dados ou documentos urgentes para outras regiões do país e do estrangeiro, sem qualquer constrangimento e a baixo custo.
Uma encomenda enviada de Luanda, por exemplo, chega ao seu destinatário na cidade de Menongue em menos de 72 horas, dependendo sobretudo da frequência de voos da TAAG.“Actualmente, existem empresas que realizam grandes negócios dentro e fora do país a partir dos serviços dos Correios sem ter que se deslocar de um ponto para o outro”, disse Rui Marcelo, acrescentando que a instituição está a envidar esforços no sentido de instalar na região o serviço internacional de transferência bancária.O director provincial da Estação Central dos Correios manifestou-se ainda preocupado com o aumento do número de crianças a usar os serviços de Internet sem o acompanhamento dos pais ou encarregados de educação.“É necessário que os pais e encarregados de educação tenham maior cuidado no acompanhamento dos seus filhos quanto ao uso da Internet, porque, apesar de ser benéfico para a nossa sociedade, tem uma parte do seu conteúdo que se torna prejudicial para as crianças”, defendeu.
O uso da Internet tem muita vantagem, mas depende da forma como é utilizada, disse o director dos Correios, Rui Marcelo.

Tempo

Multimédia