Províncias

Governador pede rigor na gestão financeira

Nicolau Vasco| Cuangar

O governador  provincial do Cuando Cubango pediu , no município do Cuangar, maior rigor na gestão das finanças públicas aos administradores municipais, por se ter constatado em 2013 uma discrepância entre a execução física e a financeira.

Governador reconheceu que houve constrangimentos na disponibilização de verbas mas pediu maior empenho aos administradores
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

O governador provincial Higino Carneiro, que falava no final de uma reunião de balanço sobre o Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Fome e à Pobreza, disse que em 2013 foram constatadas muitas irregularidades ao nível das Administrações Municipais no cumprimento das acções programadas.
No decurso do ano passado, salientou o governador da província do Cuando Cubango, para o mesmo programa a disponibilidade financeira planificada esteve acima dos 90 por cento, mas Higino Carneiro referiu que no terreno do números a execução física do programado não foi além dos 80 por cento, uma situação que deve merecer do Governo Provincial o devido tratamento.
Apesar de ter reconhecido existirem constrangimentos na disponibilização das verbas, Higino Carneiro apelou aos administradores para se aplicarem ao máximo e para que haja transparência e rigor na fiscalização das acções programadas para o ano de 2014, para que o bem-estar das populações esteja assegurado.

Problemas levantados


Os administradores solicitaram ao governador provincial para interceder junto da entidade financeira, no sentido de se reajustar os mecanismos de atribuição das verbas às Administrações Municipais, para que haja harmonia na execução das acções programadas. O atraso na disponibilidade das finanças, disseram os administradores, tem contribuído muito para estas discrepâncias financeiras, porque o mercado é dinâmico e os preços dos materiais de construção estão em constante mutação. As preocupações apresentadas pelos administradores estão relacionadas com a construção de dezenas de escolas, postos de saúde, residências, atraso no abastecimento de medicamentos e a falta de merenda escolar.
Outra preocupação levantada é a falta de quadros nos sectores vitais das Administrações Municipais e Comunais que continuam a empobrecer estes serviços no interior da província.
Em função disso, os administradores municipais apelaram para um acompanhamento permanente com seminários de capacitação e superação técnica.

Homologação de contratos


O governador provincial Higino Carneiro pediu aos administradores para remeterem ao seu gabinete as propostas dos contratos das obras que estão para ser realizadas durante este ano, assim como o relatório do estado de execução física das empreitadaspara homologação pelo governador provincial.
Higino Carneiro lembrou aos administradores municipais que os contratos das obras previstas para este ano, antes da sua execução física, devem passar pelo crivo do governador da província, de modo a se pôr cobro aos problemas verificados no ano passado e garantir uma gestão correcta dos recursos financeiros públicos.
A distribuição da merenda  em todas escolas, para uma participação mais activa das crianças no sistema de ensino, a compra de medicamentos dentro dos prazos de validade e o pagamento do subsídio de isolamento aos funcionários colocados no interior da província foram as principais recomendações.

Tempo

Multimédia