Províncias

Governo pede boas práticas aos jovens

Weza Pascoal | Menongue

O vice-governador do Cuando Cubango para o sector Político e Social, Pedro Camelo, exortou ontem os jovens da província a pautarem por uma conduta social aceitável e renunciarem às práticas maléficas para a sociedade.

Pedro Camelo salientou que é preciso que os jovens sejam mais activos no combate aos males que afectam a sociedade, com destaque para o consumo excessivo de álcool, prostituição, delinquência e violência doméstica.
O vice-governador, que falava durante a abertura da jornada “Abril jovem”, disse que a juventude, como força motriz de qualquer sociedade, deve conjugar esforços com o Governo para ajudar no crescimento da região, evitando práticas que embaraçam as acções de progresso. A província do Cuando Cubango é muito extensa e tem uma densidade populacional baixa, estimada em 510 mil habitantes, e por isso existe espaço suficiente. “O que é preciso é que a juventude apoie ou se encarne nos projectos de reconstrução nacional e na consolidação da paz, com vista a garantir uma vida sadia das nossas comunidades.”

Sinistralidade rodoviária

As jornadas decorrem sob o lema “Juventude o futuro está nas nossas mãos” e a nível do Cuando Cubango realizam-se palestras sobre o empreendedorismo juvenil, resgate dos valores morais, éticos e culturais, desportos, demonstração de ginástica, visitas aos serviços prisionais e a infra-estruturas sociais.
A par disso, as jornadas reservam ainda uma campanha de sensibilização sobre a sinistralidade rodoviária e um seminário que vai abordar os 40 anos da independência de Angola. Pedro Camelo realçou que as comemorações servem para promover um ambiente de reflexão em torno dos desafios para o país e proporcionar um ambiente de solidariedade entre os jovens das diferentes áreas da sociedade.
O vice-governador defendeu que a instrução da juventude do ponto de vista académico é crucial, de modo que eles possam ter uma cultura vasta e diversificada, baseada na promoção de valores nacionais e no respeito das comunidades socioculturais.
Pedro Camelo solicitou aos responsáveis das direcções da Cultura e da Educação a trabalharem na promoção de acções que estimulem a divulgação dos acontecimentos históricos do país e do mundo, para permitir que as gerações vindouras tenham conhecimento do passado.

Tempo

Multimédia