Províncias

Hospitais estão preparados para enfrentar surto de cólera

Carlos Paulino | Menongue

As unidades sanitárias do Cuando Cubango estão mobilizadas para acudir qualquer caso de surto de cólera na região, garantiu na segunda-feira, em Menongue, o chefe de departamento provincial da Saúde Pública e Controlo de Endemias.

Província não registou nenhum caso suspeito de cólera e as autoridades redobram a vigilância para dar uma resposta eficaz à doença
Fotografia: Miqueias Machangongo | Edições Novembro

Ntima Mandawele salientou que, até agora, a província não registou nenhum caso suspeito de cólera e as autoridades sanitárias locais têm uma vigilância activa para dar uma resposta curativa da doença.
O responsável defendeu a criação duma comissão multissectorial para a prevenção da cólera, no sentido da responsabilidade não ficar apenas pelas administrações municipais e autoridades sanitárias. Nesta equipa, estariam integradas as direcções locais da Energia e Água, Agricultura e dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros.
Para já, o chefe de departamento anunciou a realização, nos próximos dias, de seminários de capacitação para todos os técnicos de saúde sobre formas de tratamento e de prevenção da cólera, para que estejam melhor preparados, em caso de um possível surto da doença.
Outra acção vai estar direccionada à campanha de sensibilização porta-a-porta para o melhoramento do saneamento básico, tratamento adequado da água, lavagem dos alimentos e das mãos antes e depois de comer.
Ntima Mandawele recordou que a cólera é uma doença contagiosa que tem como principais sintomas a diarreia e vómitos. No quadro das acções de prevenção do surto de cólera, que já assola certas regiões do país, com destaque para Soyo e Luanda, a Administração Municipal de Menongue está a reforçar as campanhas de limpeza a nível do centro da cidade e dos bairros periféricos.
A administradora municipal adjunta para os serviços técnicos e infra-estruturas de Menongue, Cármen Chamba, avançou que para inverter o actual quadro preocupante, caracterizado por amontoados de lixo em várias artérias, estão mobilizadas três operadoras de recolha e algumas empresas de construção civil que operam na região. Desde Dezembro do ano passado, a cidade de Menongue e alguns bairros periféricos registam um aumento significativo de amontoados de lixo, razão pela qual a Administração Municipal solicitou um apoio às empresas que trabalham na circunscrição, no sentido de colocarem os seus meios, entre camiões e máquinas, à disposição da campanha. Cármen Chamba reconheceu que, neste momento, a cidade de Menongue está muito suja, devido ao aumento de resíduos sólidos, tendo apontado como áreas mais críticas os bairros Tchivonde, Paz, Novo, 4 de Abril, 45 Casas, 23 de Março, Hoji-ya-Henda, Saúde e Pandera.

Mais voluntários

A administradora adjunta de Menongue sublinhou que a situação agravou-se, devido às dificuldades financeiras que as operadoras de recolha de resíduos sólidos estão a enfrentar, o que fez com que estas reduzissem o número de funcionários e áreas de actuação.
Cármen Chamba apelou aos munícipes de Menongue no sentido de colaborarem com a Administração Municipal no combate ao lixo. “Cada um de nós precisa de mudar a consciência e olharmos para o melhoramento do saneamento básico como forma ideal ou correcta de evitarmos o surgimento de muitas doenças”, disse.
A responsável lamentou o facto de existir na província, em particular no município de Menongue, muitos adultos que mandam crianças deitar lixo. “Estas, impossibilitadas de alcançar os contentores, deitam os resíduos no chão”, disse.
“Se continuarmos a registar este aumento de focos de lixo no nosso município de certeza estaremos a caminhar para o surgimento de um surto epidemiológico”, alerta Cármen Chamba.

Tempo

Multimédia