Províncias

Hospital de Menongue regista casos de morte

Weza Pascoal | Menongue

O hospital pediátrico de Menongue, no Cuando Cubango, registou no período de 1 a 16 de Janeiro, a morte de 25 crianças, das 1.260 que entraram no banco de urgência, com complicações graves de malária, anemia e pneumonia, disse ao Jornal de Angola a directora em exercício da unidade sanitária.

Fotografia: JAIMAGENS.COM

Delfina Ana Dombuela explicou que as mortes se deveram ao estado crítico das crianças quando deram entrada no hospital, praticamente já sem vida e sem grandes hipóteses de  recuperação..      
No banco de urgência, disse, trabalha um turno composto por quatro médicos e 40 enfermeiros que chegam a consultar diariamente mais de 120 crianças  com diversas patologias, das quais mais de dez são internadas. Por escassez de espaço para internamento, afirmou Delfina Ana Dombuela, a direcção optou por colocar os pacientes nos corredores do hospital.
O hospital pediátrico de Menongue dispõe de dez salas de internamento, um laboratório, farmácia, hemoterapia, serviço de neonatologia, sala de nutrição e dois consultórios.
A unidade sanitária conta ainda com sala de cirurgia e banco de urgência que se têm revelado insuficientes, principalmente durante a época chuvosa em que as doenças conhecem o seu pico, devido ao deficiente saneamento básico.
Os serviços de saúde são assegurados por quatro médicos e 66 enfermeiros que trabalham em regime de turno. Em 2013, o hospital pediátrico registou a entrada de 20.672 casos de malária, 10.057 de gripe, 3.157 de doenças respiratórias agudas, 2.745 de doenças diarreicas agudas, 207 de otite média, 196 de má nutrição, 182 de febre tifóide, 172 de conjuntivite, 1.250 de parasitoses, 508 casos de anemia, 95 de varicela, 49 de infecções urinárias, 29 de asma, 19 de meningite e 2.232 outras patologias, diagnosticadas em 35.127 consultas realizadas, sendo internadas 6.187 crianças.
No mesmo período verificaram-se 692 óbitos, dos quais 319 causados por malária, 53 por doenças diarreicas agudas, 46 por sarampo, seis por febre tifóide, dois casos de sida, um meningite e igual número de hepatite e 228 casos de morte por causas não identificadas.

Tempo

Multimédia