Províncias

Hospital Geral precisa de mais ambulâncias

Cláudia Muhatili | Menongue

O director clínico do Hospital Geral de Menongue, no Cuando Cubango, considerou grave a existência de apenas uma ambulância na unidade sanitária, o que faz com que os doentes sejam, na maior parte das vezes, transportados em viaturas alugadas ou de moto-táxi.  

Falta de meios dificulta acção do Hospital
Fotografia: Paulo Mulaza

Lucas Macaie disse que o hospital dispõe de apenas uma ambulância que tem servido também para atender os casos de urgências de todos os estabelecimentos hospitalares a nível do município de Menongue e arredores.
A situação tem contribuído negativamente para uma melhor assistência médica e medicamentosa, sobretudo para as populações que vivem nas comunas, aldeias e quimbos de Menongue que, por falta de ambulância, acabam por dar entrada tardiamente no Hospital Geral.
“Pensamos ser importante que o Governo Provincial ou o Ministério da Saúde reforcem as nossas unidades sanitárias com ambulâncias, para que possamos prestar um melhor serviço às populações”, disse, acrescentando que neste momento, a única ambulância disponível cobre os serviços de urgência na maternidade, pediatria, postos e centros médicos de Menongue. Em relação às patologias mais frequentes na província do Cuando Cubango e que dão entrada ao Hospital Geral de Menongue, o responsável apontou a malária, febre tifóide, doenças diarreicas e respiratórias agudas, pneumonia e os casos de acidentes de viação.
O município de Menongue está a registar nos últimos tempos uma diminuição significativa do índice de mortalidade, fruto dos esforços da Direcção Provincial da Saúde em melhorar a prestação de serviço e das pessoas que foram sensibilizadas sobre os cuidados a terem em relação a certas doenças.
As acções e o refrescamento dos técnicos de saúde têm contribuído para a melhoria dos serviços, mas é necessário dar-se continuidade aos programas de sensibilização e apostar sempre na formação dos profissionais para melhor potenciá-los em termos de conhecimento já que se está num mundo de constante mutação. O Hospital Geral de Menongue funciona actualmente com três especialidades, Medicina, Ortopedia e Cirurgia. Diariamente, o banco de urgência atende mais de 80 pacientes. Conta ainda com uma capacidade de internamento para 109 camas e os serviços sãos assegurados por 20 médicos, dos quais 11 angolanos, quatro cubanos e cinco russos, além de 233 enfermeiros.
Lucas Macaie lamentou o facto de alguns familiares insistirem em levar comida para os pacientes internados, sem o mínimo de condições, o que ainda pode agravar a saúde do doente.

Tempo

Multimédia