Províncias

Identificadas novas espécies em rios da região

Carlos Paulino| Menongue

Pelo menos, 25 novas espécies de plantas, aves, insectos, anfíbios e répteis foram identificadas nos rios Cuando e Kembo, nas províncias do Cuando Cubango e do Moxico, pela equipa da National Geographic, que trabalha no Projecto Okavango Wilderness.

Especialistas da National Geographic elogiam qualidade da água dos rios angolanos
Fotografia: Nicolau Vasco

As espécies foram identificadas durante a segunda fase da expedição da equipa da National Geographic, que decorreu de 16 de Outubro a 29 de Novembro último, que contou com a participação de 35 membros, dos quais 25 cientistas especializados na área de plantas, aves, anfíbios, insectos e répteis e de cinco estudantes das universidades Cuito Cuanavale e dois outros da Agostinho Neto.
O director da expedição, Chris Boyes, disse ontem que os 25 animais e plantas identificados indicam que são realmente novas espécies para a ciência e que, para a sua confirmação, os vegetais foram enviados para Londres, enquanto os répteis, insectos e aves para a África do Sul e os anfíbios para as universidades Cuito Cuanavale e Agostinho Neto, que contam com o apoio de especialistas cubanos.
Chris Boyes destacou que as novas espécies identificadas nos rios Cuando e Kembo vão dar um grande contributo ao mundo da ciência, bem como despertar o interesse de outras investigações, visto que os mesmos possuem uma rica fauna e flora, que necessitam ainda de ser exploradas para o fomento do ecoturismo.
Salientou que, a par das 25 novas espécies identificadas, foi possível encontrar durante a expedição muitas espécies de animais e de plantas que, neste momento, estão em vias de extinção, nomeadamente as chitas, leopardos e palancas reais, que precisam de melhor protecção para a sua conservação sustentável.
Explicou que, desde o começo da expedição, em Maio de 2015, foi possível identificar centenas de novas espécies de plantas, anfíbios, répteis, aves e insectos nos rios Cuito, Cuanavale, Cuando e Cubango, estando as mesmas a ser estudadas em laboratórios da África do Sul.

As maravilhas da água

Chris Boter afirmou que, até agora, nunca viu água tão limpa conforme constatou nos rios Cuito, Cuanavale, Cuando, Cubango e Kembo, em que os animais vivem em condições e sem ameaça de poluição. Por este facto, o investigador defendeu a necessidade de o Ministério do Ambiente continuar a trabalhar para a protecção e conservação dos recursos faunísticos e florestais a nível do país, no sentido de evitar-se o risco de extinção de muitos animais e plantas.
Alertou que a extinção de muitos recursos da fauna e da flora é uma situação que pode contribuir negativamente para o desequilíbrio do ecossistema. Chris Boyes anunciou que está prevista, para o próximo ano, a realização de uma expedição no rio Cubango e, em 2018, de uma outra a nível do rio Cuando.
As expedições realizadas pela equipa da National Geographic em Angola são feitas principalmente nas províncias do Bié, Cuando Cubango e Moxico, com término previsto para 2018, num financiamento de doadores internacionais, avaliado em dez milhões de dólares.
Chris Boyes agradeceu o apoio à equipa da National Geographic dos governos provinciais do Cuando Cubango, Bié e do Moxico, para o êxito das suas expedições.

Tempo

Multimédia