Províncias

Idosos em Menongue reintegrados no seio familiar

Nicolau Vasco | Menongue

A direcção provincial da Assistência e Reinserção Social realiza um processo de inquérito, com vista a identificar as famílias de idosos internados no lar da terceira idade do bairro Hoji ya Henda, nos arredores da cidade de Menongue.

A direcção do lar de idosos de Menongue defende a permanência apenas de pessoas cujas famílias não têm condições para as sustentar
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

Os responsáveis do centro, que controla 42 idosos, sendo oito homens e 34 mulheres, conseguiram reintegrar 16 pessoas no seio familiar, desde o início do processo de inquérito em 2011.
A direcção provincial exerce uma actividade de vigilância em relação aos idosos integrados, para garantir a sua continuação no convívio familiar.
A coordenadora do centro, Mini Bom Ano, referiu que o lar acolhe idosos cujas famílias não têm possibilidades de os sustentar ou idosos desamparados.
O lar funciona há dois anos e está equipado com lavandaria, cozinha, posto médico, jangos e dois dormitórios. Precisa de uma ambulância, para a evacuação de doentes graves e outra viatura para auxiliar os trabalhos. O centro conta com 26 trabalhadores, entre educadores, activistas, vigilantes, cozinheiros, guardas, chaveiros e administrativos. A energia eléctrica constitui um dos grandes problemas do centro, que depende de um gerador de 150 KVA. Por falta de dinheiro, “nem sempre há combustível para o gerador”, disse a responsável. Camiões cisternas de empresas de construção civil fornecem de forma irregular água potável.
 A responsável do lar diz que é necessário o governo provincial construa um furo para captação de água potável.
A Administração Municipal do Menongue e a associação de estudantes da escola pré-universitária do bairro Hoji ya Henda procederam à entrega de cerca de 800 quilogramas de produtos básicos diversos, entre bens alimentares, utensílios de cozinha e roupa usada.

Ajudas solidárias

O administrador municipal do Menongue, Antunes Huambo, considerou que o acto de solidariedade serve para aliviar algumas dificuldades que o lar de terceira idade tem passado, no que concerne à assistência alimentar.
“É bom que cada um de nós demonstre o seu carinho e amor para com estas pessoas, porque são os alicerces e as bibliotecas da história viva da humanidade”, disse.
Berique Katata Katata, 78 anos, reside há algum tempo no centro. O mais velho disse que, apesar de algumas dificuldades, ele e os seus companheiros fazem as três refeições do dia. Katata Katata referiu que os medicamentos e a roupa são as principais preocupações dos idosos. Pediu a atribuição de uma ambulância ao lar, visto que os doentes costumam ser transportados de moto-táxi para as unidades hospitalares na cidade de Menongue.

Tempo

Multimédia