Províncias

Inaugurada maternidade provincial em Menongue

Carlos Paulino | Menongue

A maternidade provincial de Menongue, na província do Kuando-Kubango, completamente apetrechada com tecnologia de última geração, foi ontem inaugurada pela vice-governadora para o Sector Económico, Verónica Mutango Adolfo.

A maternidade vai contribuir para a diminuição da mortalidade materno-infaltil
Fotografia: Jornal de Angola

A maternidade provincial de Menongue, na província do Kuando-Kubango, completamente apetrechada com tecnologia de última geração, foi ontem inaugurada pela vice-governadora para o Sector Económico, Verónica Mutango Adolfo.
As obras de construção da unidade sanitária, que teve a duração de 14 meses, custou aos cofres do Estado quatro milhões de dólares e vai prestar assistência médica e medicamentosa, além de consultas pré-natal, pré-parto e pós-parto.
Também vai prestar serviço de planeamento familiar, estomatologia, Raio X, farmácia, laboratório, aconselhamento e testagem voluntária. A maternidade dispõe de 32 camas de internamento, seis berços pré-natais, três incubadoras, banco de urgência, dormitório para a equipa médica, refeitório, lavandaria, sala de reuniões, áreas administrativas, entre outros serviços.
A directora da maternidade provincial, Ondina Chiaca, lamentou a falta de um bloco operatório, morgue, meios de transporte, muro de vedação, reservatório aéreo de água potável e climatização da referida unidade sanitária.  A maternidade vai ser assegurada por um quadro clínico composto por 165 técnicos dos 312 previstos, quatro médicos, 88 enfermeiros, sete parteiras especializadas e igual número de especialistas de laboratório. Fazem ainda parte dois farmacêuticos e 56 administrativos.
Relativamente à verba orçamental mensal para as despesas variáveis da maternidade, Ondina Chiaca espera que o governo provincial aumente a cota financeira, à semelhança de outras unidades sanitárias espalhadas pelo país, tendo em conta os serviços que vai prestar à população. A vice-governadora, Verónica Mutango Adolfo, afirmou que a maternidade vai diminuir significativamente a mortalidade materno-infantil a nível da região, razão pela qual urge que a população e quadro clínico cuidem bem da infra-estrutura, para cumprir os objectivos para o qual foi construído.
Verónica Adolfo pediu aos profissionais do sector da saúde maior empenho e dedicação no exercício das suas funções para que se possa obter os êxitos desejados.

Tempo

Multimédia