Províncias

Inauguradas casas sociais da juventude

Carlos Paulino | Menongue

O vice-governador da província do Kuando-Kubango para os serviços técnicos e infra-estruturas, Simão Baptista, inaugurou quarta-feira, na cidade de Menongue, 48 casas sociais, no quadro do “Programa Angola Jovem”.

Vice-governador inaugurou ontem novas moradias destinadas aos jovens
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

O vice-governador da província do Kuando-Kubango para os serviços técnicos e infra-estruturas, Simão Baptista, inaugurou quarta-feira, na cidade de Menongue, 48 casas sociais, no quadro do “Programa Angola Jovem”.
As casas, do tipo T-3, foram construídas no bairro 14 de Abril e estão avaliadas em 40 mil dólares cada. Os beneficiários amortizam este valor no Banco de Poupança e Crédito (BPC), num período de 20 anos. Simão Baptista salientou que o Executivo continua a trabalhar em prol do bem-estar social da juventude, razão pela qual está prevista, para o próximo ano, a construção de mais 4.500 casas sociais, para benefício em primeiro lugar dos jovens. “É nossa preocupação atenuar cada vez mais o défice habitacional no seio da juventude e da população da província em geral, com a construção de mais casas sociais na região”, disse.
Simão Baptista informou que no bairro não existe ainda água potável nem energia eléctrica, situação que o vice-governador prometeu resolver em breve, assim como a construção de um posto policial.
O director provincial da Juventude e Desportos, Manuel Franessa, anunciou que está em curso a construção de mais 60 casas sociais, no bairro 14 de Abril, no quadro do “Programa Angola Jovem”, cuja conclusão está prevista para 2012.  Manuel Franessa anunciou também que está prevista para 2012 a construção de 80 casas sociais nos municípios do Cuito Cuanavale e Cuchi, sendo 40 residências para cada uma das localidades.
O director provincial realçou que com este projecto, o Executivo, através do Ministério da Juventude e Desportos, quer melhorar substancialmente as condições de vida e bem-estar social dos jovens.

Beneficiários defendem a redução dos preços

Alberto Kalupia, um dos beneficiários das 48 casas sociais do bairro 14 de Abril, agradeceu o gesto do Ministério da Juventude e Desportos e defendeu uma redução nos preços das residências.
O beneficiário acrescentou que os compartimentos das residências inauguradas são muito pequenos para um jovem que no futuro queira constituir família.
Outra questão que inquieta os beneficiários é o facto de as casas não estarem mobiladas, ao contrário do que estava previsto.
“É necessário que o Ministério da Juventude e Desportos reveja bem estes pormenores, porque muitos jovens querem desistir das
casas em virtude do preço não corresponder às condições que as
mesmas apresentam”, frisou Alberto Kalupia.

Tempo

Multimédia