Províncias

Instalado laboratório para identificar gases refrigerantes

Carlos Paulino | Menongue

A província do Cuando Cubango conta, desde ontem, com um laboratório equipado com meios tecnológicos de última geração,para identificar gases refrigerantes prejudiciais à camada de ozono e que não devem ser usados no país.

Novo laboratório está equipado com meios tecnológicos altamente sofisticados para identificar as substâncias poluidoras
Fotografia: Nicolau vasco | Edições Novembro | Menongue

O laboratório, entregue pelo Ministério do Ambiente ao Governo da província, e instalado no Instituto Politécnico de Ambiente do Missombo,“31 de Janeiro”comporta cinco aparelhos portáteis ou identificadores de gases refrigerantes com capacidade para identificar cerca de 90 substâncias químicas.
A chefe de Departamento de NovasTecnologias Ambientais do Ministério do Ambiente, Ivone Pascoal, disse no acto de inauguração da infra-estrutura, que muitos fluidos ou gases refrigerantes usados principalmente nos electrodomésticos, como frigoríficos, arcas, geleiras e ar-condicionados, são prejudiciais à camada de ozono que tem o papel de proteger os seres vivos das radiações solares.
A responsável sublinhou que, as principais substâncias destruidoras da camada de ozono estão divididas em sete famílias, nomeadamente os Clorofluorcarbonos, Hidroclorofluorcarbonos, Halons, Brometo de Metilo, Tetracloreto de carbono, Clorofórmio de Metilo e Hidrobromofluorcarbonos.
“Muitos aparelhos de refrigeração usam estes tipos de gases ou fluidos, mas no rótulo esse dado é muitas vezes adulterado. Por este facto, estamos a instalar laboratórios e a formar técnicos no sentido de identificarem, através de equipamentos sofisticados, os tipos de fluidos ou gases que vêm dentro das máquinas de refrigeração”, explicou.
Ivone Pascoal fez saber que o laboratório será assegurado por dez técnicos da Administração Geral Tributária (AGT), Serviço de Investigação Criminal (SIC), Comércio, Polícia Fiscal, Gabinete Provincial do Ambiente, Instituto Politécnico de Ambiente do Missombo e especialistas de frio.
O responsávelacrescentou que os cinco aparelhos portáteis de identificação podem ser transportados em qualquer ponto da província caso haja necessidade, sobretudo, nos postos fronteiriços do Cuando Cubango com a Namíbia e a Zâmbia, “para os técnicos trabalharem nas áreas onde entram as mercadorias, com vista ao controlo da entrada de fluidos e gases prejudiciais à camada de ozono”.
Ivone Pascoal sublinhou que o laboratório vai permitir avaliar também como está a província do Cuando Cubango no que toca ao uso ou venda de electrodomésticos, ou outros equipamentos que levam gases refrigerantes.
Informou que o Ministério do Ambiente recebeu 35 aparelhos portáteis doados, no âmbito do Protocolo de Montreal, para a instalação de sete laboratórios nas províncias do Uíge, Cabinda, Namibe, Cunene, Cuando Cubango, Huambo e Luanda.
Ivone Pascoal apelou aos importadores do ramo para cumprirem com o estipulado no Decreto Presidencial 153/11 de 15 de Junho, que veta a importação de electrodomésticos e equipamentos diversos,cuja comercialização está proibida. Na mesma senda, exortou os técnicos de frio para não usarem gases que poluem a camada de ozono e que danificam electrodomésticos.

Tempo

Multimédia