Províncias

Intensificadas campanhas contra a doença

A sensibilização contra a febre-amarela foi intensificada    junto das unidades sanitárias, mercados e igrejas em Menongue, informou ontem o director municipal de Saúde de Menongue, João Chihinga.

Autoridades sanitárias da província do Cuando Cubango estão atentas ao surto de febre-amarela confirmado em alguns ponto do país
Fotografia: Francisco Bernardo

“Menongue está em prontidão no que respeita à febre-amarela. Estamos a sensibilizar a população através de palestras em aglomerados como praças, mercados e  igrejas”, explicou João Chihinga.

Alguns casos registados

Sete casos prováveis de febre-amarela e seis suspeitos foram registados pelas autoridades sanitárias na província do Huambo, confirmando a morte de três pessoas por esta doença.
O chefe do departamento de Saúde Pública, Almeida Chitungo, informou ontem   que dois óbitos ocorreram no hospital central e um no município do Bailundo, sendo as vítimas provenientes de Luanda, onde se registaram  os primeiros casos da doença.
As autoridades sanitárias já haviam enviado 11 amostras ao laboratório em funcionamento em Luanda, cujos resultados ainda não são conhecidos, disse Almeida Chitungo. Um posto de controlo da doença foi criado no aeroporto do Huambo, de onde os cidadãos identificados com algum sintoma da doença são  encaminhados  para o hospital, e prevê-se que nos próximos dias seja criado um outro posto no município do Londuimbali. A partir de hoje a Direcção da Saúde  faz fumigação nas ruas da cidade do Huambo, para eliminar mosquitos, disse Almeida Chitungo. No Huambo o primeiro caso suspeito de febre-amarela foi diagnosticado no dia 27 de Janeiro.

Surto em Malanje


As autoridades sanitárias de Malanje estão atentas ao surto de febre-amarela confirmado em alguns pontos do país, disse ontem à Angop a chefe de departamento de Saúde Pública da Direcção Provincial do sector.
Yolanda Mote afirmou que em Malanje não se registou nenhum caso de febre-amarela, mas desde há três semanas decorre na província uma campanha pública sobre formas de a evitar.
A directora provincial referiu que as Administrações Municipais têm instruções para avisarem o departamento provincial de Saúde sobre casos suspeitos e que foi pedido às Igrejas que esclareçam as pessoas, principalmente nos centros de maior concentração, sobre o perigo e as forma de prevenção da febre amarela.
Yolanda Mote mencionou  a importância do saneamento básico, reforço dos hábitos de higiene, uso do mosquiteiro e conservação da água, bem como a maneira de evitar a sua acumulação, sobretudo nos quintais e nos arredores das casas.

Tempo

Multimédia