Províncias

Jamba Cuio em vias de desenvolvimento

Nicolau Vasco | Jamba

Uma nova ponte sobre o rio Cwebe, no Kuando-Kubango, vai ser montada, em Março próximo, para facilitar a circulação de pessoas e bens entre a comuna de Jamba Cueio e a cidade de Menongue, anunciou o governador da província.

Os habitantes são forçados a transportarem mercadorias em canoas correndo sérios riscos
Fotografia: Nicolau Vasco|Cueio

Uma nova ponte sobre o rio Cwebe, no Kuando-Kubango, vai ser montada, em Março próximo, para facilitar a circulação de pessoas e bens entre a comuna de Jamba Cueio e a cidade de Menongue, anunciou o governador da província.
Higino Carneiro, que efectuou uma visita de constatação à comuna da Jamba Cueio, que desde a década de 80 se encontra isolada do resto da província, informou as autoridades locais que o material para execução da nova ponte sobre o rio Cwebe já se encontra em Menongue, aguardando, como disse, a conclusão do processo de desminagem do local onde será instalada e a remoção dos escombros da antiga ponte de betão.
A nova ponte, de estrutura metálica, terá 40 metros de comprimento e seis de largura. Actualmente, para se deslocar à cidade de Menongue e vice-versa a população da Jamba Cueio tem de percorrer a pé cerca de 45 quilómetros, até à margem do rio Kwebe, para posteriormente fazer a travessia por meio de canoas.
O administrador local, João Katengo, lamentou a situação difícil que a população da Jamba Cueio, estimada em cerca de 24 mil habitantes, vive, acrescentando que devido a destruição da ponte, os habitantes são forçados a transporem mercadorias em canoa, correndo sérios riscos, sobretudo na época chuvosa, onde se regista o aumento do caudal. A montagem da ponte, segundo o responsável, vai acelerar o desenvolvimento da comuna, que se debate com uma escassez de bens e serviços diversos, porque, referiu, a população dedica-se à prática de uma agricultura de subsistência, com realce para o cultivo do milho, massambala, batata-doce e mandioca.
Relativamente às infra-estruturas sociais, o administrador afirmou que a comuna da Jamba Cueio, fundada em 1968, até a altura da independência dispunha de cerca de 50 casas de construção definitiva, mas, esclareceu que devido à guerra que assolou o país, estas ficaram reduzidas para quatro, sendo uma escola primária com três salas, um posto médico e duas residências do tipo T2 para o administrador e seu adjunto.
Na sua deslocação à comuna, o governador Higino Carneiro fez-se acompanhar do vice-governador para o sector de infra-estruturas, Joaquim Malitchique, que prometeu enviar, nos próximos dias, uma equipa técnica para fazer o levantamento do património imobiliário da comuna.

Tempo

Multimédia