Províncias

Jornalistas reflectem sobre violência familiar

Alzira da Silva | Menongue

A violência na sociedade, o seu impacto na família e no desenvolvimento das crianças e jovens e o papel da comunicação social são algumas das questões que estão a ser abordadas, desde ontem, num seminário regional que decorre até amanhã em Menongue.

A violência na sociedade, o seu impacto na família e no desenvolvimento das crianças e jovens e o papel da comunicação social são algumas das questões que estão a ser abordadas, desde ontem, num seminário regional que decorre até amanhã em Menongue.
O seminário tem a participação de jornalistas do Kuando-Kubango e do Moxico e é promovido pelo Ministério da Comunicação Social, tendo como prelectores o director do Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), Albino Carlos, a directora-geral adjunta da Angop para a área de informação, Luísa Damião, o professor universitário António Quino e as directoras provinciais da Família e Promoção da Mulher e do Instituto Nacional da Criança, respectivamente Florinda Cassanga e Aida Rosalina.
Durante o seminário, os jornalistas vão debater o tema numa perspectiva ético-deontológica da comunicação social e participar nas oficinas dedicadas à língua portuguesa, que serão orientados pelo profissional de rádio Africano Neto, de televisão, Isidro Sanhanga, Albino Carlos e Luísa Damião.
A abertura do seminário contou com a presença do governador do Kuando-Kubango, Eusébio de Brito Teixeira, que considerou a violência na sociedade como um acto de cobardia, já que é exercida, principalmente, contra crianças e mulheres.Por outro lado, lembrou que a violência é influenciada pelo aumento das crises económicas, sociais e culturais, nas quais imperam problemas de desemprego, insuficiências de educação, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, pobreza e o desrespeito pelo ambiente.
O director do Cefojor, Albino Carlos, disse que os temas agendados para este seminário visam, essencialmente, despertar e dotar os jornalistas de ferramentas suficientes para abordarem com profundidade os casos de violência na sociedade, despertar e educar as pessoas sobre as práticas negativas que este fenómeno produz e dos problemas que podem provocar aos governos.

Tempo

Multimédia