Províncias

Jovens são preparados para criarem negócios

Carlos Paulino| Menongue

Pelo menos, 75 jovens, dos 168 inscritos no programa do Executivo angolano Projovem na província do Cuando Cubango, participam, desde segunda-feira, na cidade de Menongue, num seminário sobre empreendedorismo, para terem noções de como iniciar a sua própria empresa.

Dezenas de jovens estão a ser formados
Fotografia: Nicolau Vasco| Menongue| Edições Novembro

A acção formativa, promovida pelo Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), tem a duração de cinco dias e vai munir os participantes de conhecimentos sobre características pessoais para quem pretende abrir uma empresa, plano de negócio, etapas para o desenvolvimento do plano de negócio, o que é uma empresa, actividades internas das empresas, o empreendedor e o empresário e como fazer parceria de negócios.
A chefe dos serviços do INAPEM no Cuando Cubango, Verónica Cartinha Loguenda, disse que o seminário tem como objectivo fundamental capacitar os jovens que querem ser empreendedores, para que as suas empresas tenham êxito e não corram o risco de ir à falência.
Explicou que a formação dos 168 futuros empreendedores inscritos no INAPEM, no quadro do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem), na província do Cuando Cubango, vai decorrer de forma faseada, durante três semanas.
Verónica Cartinha Loguenda salientou que depois da formação os jovens vão apresentar o estudo de viabilidade dos seus projectos ao Banco de Comércio e Indústria (BCI), que dispõe da linha de crédito, que ronda de 100 mil a 40 milhões de kwanzas, para financiar diversos projectos, com realce para os de prestação de serviço, comércio, pecuária, aquicultura, agricultura, cultura, hotelaria e turismo, indústria e tecnologias de informação.  De acordo com a chefe dos serviços do INAPEM, foram recentemente formados no Cuando Cubango sete consultores, que vão trabalhar no acompanhamento dos projectos dos jovens beneficiários do Projovem, para que haja uma maior rigorosidade e fiscalização na sua implementação.
Verónica Cartinha Loguenda referiu tratar-se de um projecto que não pode ser encarado ou implementado de forma aleatória. Por isso, acrescentou, há toda a necessidade de os jovens, que vão beneficiar do financiamento, receberem primeiro uma formação, para que entendam o porquê que o Executivo angolano criou o Projovem. Disse que este projecto constitui uma excelente oportunidade para os jovens criativos, que têm desejo de ter o seu próprio negócio, nos mais variados sectores.  
A chefe dos serviços do INAPEM recordou que o Projovem é uma linha de crédito de apoio ao empreendedor jovem, que será financiada pelo Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), operado pelo BCI, que conta com a participação do INAPEM, do Instituto Angolano da Juventude e do Conselho Nacional da Juventude (CNJ).

Tempo

Multimédia