Províncias

Língua nganguela no sistema escolar

Cláudia Muhatili| Menongue

O Ministério da Educação pretende incluir no programa curricular do próximo ano lectivo o ensino e aprendizagem da língua nganguela, nas escolas do ensino primário do Kuando-Kubango, para no futuro permitir a uniformização e o uso correcto do idioma nas distintas comunidades da região.

Objectivo do projecto é permitir a uniformização e o uso correcto do idioma na região
Fotografia: JA

A garantia foi dada ao Jornal de Angola por Sóstenes Candeia, director provincial da Educação em exercício, acrescentando que “tal como acontece com o português, a aprendizagem do nganguela deve obedecer a um processo científico, porque há pessoas que falam fluentemente a língua e não a sabem escrever”.
O grupo étnico nganguela tem 11 subgrupos, designadamente os ngonzelos, ncangalas, quisocolas, luimbis, luchazes, mbuelas, mbundas, nhembas, massacas, mpengos e catocos, e cada uma destas comunidades pronuncia o idioma de forma diferente, o que tem criado dificuldades na comunicação entre os clãs.
Sóstenes Candeia disse que outras línguas nacionais, como umbundo, quimbundo e nhaneca humbi, também vão ser introduzidas nas escolas do Kuando-Kubango, conforme for crescendo o número de alunos interessados em as aprender. Para corresponder aos anseios do Ministério da Educação, foi promovido em Menongue um seminário de formação de formadores municipais, que contou com a participação de 30 professores seleccionados nos nove municípios da província, que vão assegurar o ensino da língua nganguela nas escolas do Kuando-Kubango.
Foram abordados temas relacionados com a metodologia de ensino, organização de uma sala de aula e prática do ensino de uma lição. O uso correcto do vocabulário, dos formulários de frase, ensino de uma leitura partilhada e de ditado, pontuação e tempos verbais também mereceram a atenção dos participantes.

Tempo

Multimédia