Províncias

Mais energia eléctrica e água potável em Menongue

Carlos Paulino | Menongue

As populações dos bairros Pandera, 45 casas, Tomás, Saúde, 1º de Maio, Tchivonde, Pio, Novo, Castilho, Victória, Cunha, Azul, no centro da cidade de Menongue e na comuna do Missombo, província do Cuando Cubango, vão beneficiar, até Março de 2015, de mais energia eléctrica e água potável.

O Governo Provincial desenvolve várias acções com o objectivo de levar os serviços básicos como água e luz mais próximo da população
Fotografia: Francisco Bernardo

Neste momento estão em curso no município de Menongue dois projectos de expansão da rede de fornecimento de energia e de distribuição de água potável.
Relativamente à energia, os trabalhos de expansão da rede de média tensão, a cargo da Empresa Nacional de Energia (ENE) e Sinohydro, encontram-se a 65 por cento de execução e cingem-se à construção- base para a instalação dos transformadores de 630 e 250 KVA.
A directora provincial da Energia e Águas, Adélia Muambeno, disse ao Jornal de Angola que a conclusão da expansão de 64 quilómetros da rede da média tensão vai permitir que sejam feitas mais de 12 mil ligações domiciliares.
“A efectivação deste projecto vai aumentar a capacidade da actual central térmica de Menongue, que conta com dez megawatts.”
A Direcção Provincial da Energia e Águas controla neste momento mais de quatro mil ligações domiciliares na cidade de Menongue e bairros periféricos.

Pagamento de luz

Adélia Muambeno lamentou o facto de existirem ainda na província, em particular na cidade de Menongue, muitos cidadãos que não têm a cultura de pagar mensalmente a energia que consomem.
"Esta é uma situação vivida quase em todo o país. Nós temos ainda alguma dificuldade com os nossos consumidores que não têm a cultura de pagar a energia, sendo um valor que contribui fundamentalmente para a manutenção dos grupos geradores e a compra de combustível", disse.
 Adélia Muambeno sublinhou que este facto se deve sobretudo ao tempo que as pessoas ficaram sem ter energia nas suas casas 24 horas por dia. Para inverter o actual quadro, a directora provincial da Energia e Águas realçou que a instituição que dirige está a trabalhar em coordenação com a Empresa Nacional de Electricidade para a instalação, nos próximos tempos, de sistemas pré-pagos em Menongue.

Energia na orla fronteiriça


A directora provincial da Energia e Águas, Adélia Muambeno, fez saber que recentemente uma equipa técnica do Ministério da Energia e Águas, em coordenação com o governo da província, trabalhou nos municípios da orla fronteiriça com a Namíbia, nomeadamente Cuangar, Calai, Dirico e Rivungo, no sentido de ser aumentada a rede de distribuição de emergia nas referidas localidades, que dependem da energia proveniente da Namíbia.
"O objectivo desta visita foi fazer um levantamento da potência de que precisamos, para reforçar um  acordo com as autoridades namibianas, para que se estenda a energia eléctrica a algumas localidades, que actualmente não contam com estes serviços, designadamente na sede comunal de Luiana, Posto Aduaneiro do Buabuata, no Bico de Angola, Tsué, Olupale, no Mucusso, Bondo-Caíla e sede municipal do Calai ", acrescentou. Adélia Muambeno sublinhou que está previsto um encontro no próximo dia 21 de Maio, entre as autoridades angolanas e namibianos, que vai servir para a discussão da capacidade de energia que se deve disponibilizar para o fornecimento nestas localidades.
Adélia Muambeno sublinhou que, para as sedes municipais do Cuchi, Cuito Cuanavale, Mavinga, Nancova e Rivungo, está prevista a instalação de centrais térmicas e hidroeléctricas, sendo projectos que neste momento estão emestudo. 
A directora provincial da Energia e Águas recordou que recentemente foi aprovado o projecto para a instalação de uma central térmica na sede municipal de Cuito Cuanavale, que vai ter capacidade de 7,5 megawatts, com 45 quilómetros de média tensão e 170 quilómetros de baixa tensão, para beneficiar mais de 20 mil habitantes. "O Executivo angolano está empenhado na melhoria do fornecimento de energia a todas as localidades do Cuando Cubango, sobretudo situadas ao longo das fronteiras, com o propósito de se combater as assimetrias e impulsionar o desenvolvimento das mesmas", disse.
 A directora provincial da Energia e Águas   acrescentou que o projecto vai  alavancar os programas do Executivo de combate à fome e à pobreza, uma vez que o fornecimento de energia eléctrica as sedes municipais, comunais e nas zonas rurais vão permitir um maior desenvolvimento socioeconómico e o bem-estar das populações.

Água em Menongue

Adélia Muambeno salientou que neste momento decorre a bom ritmo a construção da nova central de captação, tratamento e distribuição de água potável nas margens do rio Kwebe, na localidade do Calupassa, arredores da cidade de Menongue.
Realçou que os trabalhos estão na ordem de 75 por cento de execução, a cargo da empresa Sinohydro. A nova central, acrescentou, vai ter capacidade para bombear 11 mil metros cúbicos de água por dia, para beneficiar mais de 150 mil habitantes de Menongue.
O empreendimento, avaliado em mais de 45 milhões de dólares, vai contar ainda com um tanque de armazenamento de água com capacidade para dois mil metros cúbicos e equipamentos de apoio, nomeadamente dois geradores, duas bombas de água, área de tratamento de resíduos sólidos e leito de secagem.
O actual sistema, construído na era colonial no centro da cidade de Menongue, encontra-se em estado avançado de degradação, concluiu a directora provincial da Energia e Águas, Adélia Muambeno. 

Tempo

Multimédia