Províncias

Menongue regista amontoados lixo

Carlos Paulino | Menongue

Amontoados de lixo e capim alto verificam-se, desde algum tempo, em várias artérias de Menongue e em bairros periféricos, devido a paralisação dos trabalhos dos agentes contratados para a limpeza da cidade, alegadamente por falta de pagamento.

Nas principais artérias da capital da província do Cuando Cubango está espelhada a falta de saneamento básico
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro

Para inverter o actual quadro, o vice-governador do Cuando Cubango para os serviços Técnicos e Infra-estruturas, Bento Xavier, reuniu-se com directores de escolas e líderes das organizações juvenis de partidos políticos, entidades religiosas e filantrópicas, para a realização de uma mega campanha de limpeza na urbe.
Bento Xavier disse que a proliferação do lixo na cidade de Menongue pode provocar um surto epidemiológico, como a malária ou cólera, caso não haja intervenção urgente.

“A província está sem dinheiro para pagar as operadoras de recolha de lixo. Portanto, enquanto aguardamos que o Executivo disponibilize as verbas do Or-
çamento Geral de Estado (OGE) deste ano, temos de resolver, urgentemente, esta questão”, disse.
A par dos amontoados de lixo, em algumas artérias da cidade, concretamente nos troços rodoviários entre Menongue/Caiundo, Menongue/Bié, Menongue/Cuchi e Menongue/Cuito Cuanavale, o capim está a tirar a visibilidade do panorama destas localidades.
“Temos equipamentos de limpeza e logística para que a campanha possa decorrer sem sobressaltos. Precisa-mos apenas de pessoas volun-
tárias”, sublinhou, adiantando que além de entidades da sociedade civil, estão mobilizados efectivos do Ministério do Interior e das Forças Armadas.
“Acreditamos que teremos também a partcipação massiva da população da cidade de Menongue”, frisou.

Tempo

Multimédia