Províncias

Menongue vai realizar em Junho fórum sobre a situação da criança

Nicolau Vasco | Menongue

Um fórum para analisar a situação actual das crianças na província do Kuando-Kubango será realizado nos próximos dias 21 e 22 de Junho, afirmou, em Menongue, Pedro Camelo, coordenador do conselho provincial da criança.

Está a ser realizado um inquérito para se identificar os principais problemas dos menores
Fotografia: Jornal de Angola

Um fórum para analisar a situação actual das crianças na província do Kuando-Kubango será realizado nos próximos dias 21 e 22 de Junho, afirmou, em Menongue, Pedro Camelo, coordenador do conselho provincial da criança.
Pedro Camelo, que é igualmente vice-governador para o sector social e político do Kuando-Kubango, anunciou o facto durante um encontro de concertação sobre a criança, ocorrido na quinta-feira última em Menongue.
O vice-governador revelou que, a anteceder o encontro previsto para Junho, as autoridades locais estão a realizar um censo populacional na província, com vista a identificar os principais problemas que afligem as crianças na região.
“Os problemas que afligem as crianças do Kuando-Kubango, designadamente o acesso à saúde, os casos de malnutrição, educação social e pré-escolar, serão catalogados, durante um censo sobre esta problemática, que está a decorrer em todos os municípios, comunas, aldeias e aglomerados populacionais desta província”, enfatizou o coordenador do conselho provincial da criança.
Segundo Pedro Camelo, o conselho provincial da criança recebeu do Cuito Cuanavale e Cuchi os primeiros dois relatórios, espelhando a realidade actual das crianças naquelas regiões.
Pedro Camelo afirmou que a situação da criança no Kuando-Kubango é preocupante, por existir um fraco desempenho de muitos sectores que concorrem para o êxito da implementação das acções subscritas nos estatutos dos 11 Compromissos da Criança.
O vice-governador do Kuando-Kubango disse ainda que os diferentes grupos temáticos criados a propósito têm estado aquém das expectativas no acompanhamento dos problemas que afligem as crianças.  A directora provincial do Instituto Nacional da Criança no Kuando-Kubango, Aida Pedro, lamentou o facto de certas famílias estarem na origem da obstrução intelectual de muitas crianças, obrigando-as a realizar tarefas laborais em detrimento da escola.
Aida Pedro fez saber que a Direcção Provincial do INAC vai continuar a promover debates radiofónicos, seminários e outras actividades de esclarecimento, para dar a conhecer às famílias os direitos e os deveres das crianças.

Tempo

Multimédia