Províncias

Milhares de crianças infectadas pelo vírus

Weza Pascoal | Menongue

Pelo menos cinco em cada 100 habitantes da província do Cuando Cubango são portadores do vírus da sida, sendo parte considerável destes crianças com idades inferiores a 15 anos, revelou, na cidade de Menongue, o director provincial de Saúde.

Província está incluída no plano de estrategias prioritárias de combate à doença traçado pelo Instituto Nacional de Luta Contra a Sida
Fotografia: Domingos Cadência

Fernando Cassanga avançou que as estatísticas apontam que dos 861.559 habitantes daquela parcela do país, dos quais 404.933 crianças menores de 15 anos, 22.676 são seropositivas.
O director provincial da Saúde salientou que a não observância das normas mundialmente estabelecidas, como o uso do preservativo nas relações sexuais, abstinência e a testagem voluntária dos cidadãos, é a principal causa que contribui para o Cuando Cubango seja a segunda província mais infectada do país, sendo superada apenas pelo Bié.
Disse que a província do Cuando Cubango tem uma população estimada em 861.559 habitantes, sendo 44.801 mulheres gestantes, dai que todas devem ser captadas para a consulta pré-natal e destas pelo menos 90 por cento correspondem a 2.558 que devem entrar no ciclo de tratamento com anti-retrovirais.
Em relação à sida pediátrica, o director provincial disse que as estimativas apontam para 404.933 crianças, das quais 364.439 devem fazer o teste voluntário do VIH-Sida, enquanto mais de 29.409 vão precisar de tratamento anti-retroviral.
Os estudos, de acordo com Fernando Cassanga, dizem que pelo menos 14.286 destas crianças devem estar já em tratamento até 2015.
Acrescentou que a província registou um aumento elevado na taxa de prevalência de VIH-Sida, passando de 4,3, no ano 2004, para 5,6, em 2011, situando-se em segundo lugar no contexto nacional detectado no último estudo realizado no país, em função de indicadores epidemiológicos que apresentam taxas elevadas de seropositividade ao vírus da Sida.

Estratégias prioritárias

O director provincial da Saúde avançou que a região está incluída nas estratégias prioritárias da implementação dos programas de combate ao VIH, no âmbito das acções coordenadas pelo Instituto Nacional da Luta contra a Sida (INLS). Neste âmbito, Fernando Cassanga disse que foi realizado um curso com o objectivo de reforçar e implementar a assistência integrada do programa de combate ao VIH/Sida a nível dos nove municípios da província.
Os conhecimentos adquiridos pelos representantes nos nove municípios vão ser aplicados e expandidos em todos os municípios e comunas do Cuando Cubango. Perante este desafio, a província vai conjugar esforços para a municipalização dos serviços de saúde, desenvolver acções estruturadas e integradas, visando a expansão progressiva dos programas de aconselhamento e testagem iniciada pelo provedor (ATIP), de prevenção e de transmissão vertical.
Vão ser reforçadas ainda as estratégias contra a Sida adulto e pediátrica, a vigilância epidemiológica, logística, os laboratórios e a informação, educação e comunicação, de tal forma que os nove municípios venham a sustentar as acções já implementadas nos últimos anos pelo INLS na província.
Acrescentou que factores regionais, sociais e económicos podem ser considerados como agravantes para a problemática da expansão do VIH na região. Dada a posição geográfica da província e a grande mobilidade das pessoas e bens, motivados pelas transacções comerciais, verifica-se o processo migratório entre regiões com alta taxa de VIH-Sida, como o Bié, Cunene, Huíla e Moxico, bem como a Namíbia e a Zâmbia.

Prevenção


Marieth Ledan, pediatra cubana, considerou ser importante trabalhar com a população no sentido de transmitir mais conhecimentos, para que esta tome medidas de prevenção à aparição do VIH- Sida a nível da região.
Acrescentou que, tendo em conta os casos de gravidez precoce, é essencial pôr em prática a prevenção e promoção de saúde, educando a população sobre os métodos de prevenção da enfermidade e ajudar a elevar o nível cultural desta. "É preciso que as meninas saibam que na idade da adolescência, elas não estão preparadas procriar", disse a médica pediatra, para quem os níveis de seroprevalência em crianças são elevados.
Durante a formação, a especialista avançou que a formação vai aumentar os conhecimentos, dai que se pode diagnosticar melhor estas crianças e dar um melhor seguimento para melhorar a qualidade de vida e, com o tratamento anti-retroviral, esperar que elas cheguem à idade adulta.

Equipa técnica

O representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Cuando Cubango, Luzamba Cabamba, disse que o próximo passo desta instituição vai ser reunir com os administradores municipais e fazer um balanço local, para a criação de uma comissão técnica de acompanhamento de cada região.
“O que nos preocupa, neste momento, é a taxa de seroprevalência que tem o Cuando Cubango, de 5,6 por cento, e a província do Bié, que apresenta uma taxa muito elevada de 5.8%, em primeiro lugar a nível do país", disse o responsável.
O representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Cuando Cubango realçou que o primeiro passo a ser dado deve ser a redução da taxa elevada de seropositivos e, depois, pôr em prática tudo que foi dito no seminário, para saber o número real dos infectados e fazer com que, no mínimo, 90% destas pessoas recebam tratamento anti-retroviral.
 Luzamba Cabamba disse que, para a redução desta taxa, vai ser necessário trabalhar com as equipas locais, utilizando estratégias e tratando as pessoas, o que vai contribuir para que haja redução de casos novos e, consequentemente, na diminuição de pessoas infectadas pelo vírus, nos próximos anos.

Tempo

Multimédia