Províncias

Milhares de hectares de terras preparados para a agricultura

Carlos Paulino | Menongue

Na província do Kuando-Kubango mais de 80 mil hectares de terras aráveis foram preparados e cultivados na presente campanha agrícola, anunciou, no fim-de-semana, na localidade do Kuatir, a 30 quilómetros da cidade de Menongue, o presidente da UNACA -Federação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agro-pecuárias.

Governador provincial prometeu mais apoios para o aumento da produção
Fotografia: Manuel Pascoal

 Na província do Kuando-Kubango mais de 80 mil hectares de terras aráveis foram preparados e cultivados na presente campanha agrícola, anunciou, no fim-de-semana, na localidade do Kuatir, a 30 quilómetros da cidade de Menongue, o presidente da UNACA -Federação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agro-pecuárias.
Francisco Sacalunga, que falava nas comemorações do 20º aniversário da constituição da UNACA, lamentou não estarem reunidas todas as condições para as distintas fases do lançamento das sementeiras.
Apesar disso, o presidente da Associação dos Camponeses na região antevê uma boa colheita, já que tem chovido com regularidade, podendo ver-se já campos verdejantes, com culturas diversas.
Sacalunga manifestou-se, também, agradado com os esforços do Governo na atribuição de micro créditos aos associados da UNACA e de outras cooperativas de camponeses, o que tem permitido a produção de bens alimentares e aquisição de gado para tracção, o que, referiu, tem facilitado o alargamento das lavouras.
O associativismo e o cooperativismo, frisou, são as melhores formas dos camponeses estarem organizados.
“Só desta forma estaremos em condições de fazer face aos principais desafios do sector, que são o combate à fome e à pobreza”.
 
Apoio aos camponeses
 
O governador do Kuando-Kubango garantiu que o governo vai continuar apoiar os camponeses organizados em associações e cooperativas para permitir que os níveis de produção agrícola aumentem na província e seja comercializado o excedente.
Eusébio de Brito Teixeira anunciou que, nos próximos tempos, o governo da província vai adquirir alguns tractores, para, no decurso desta e de outras campanhas agrícolas, ajudar as associações e cooperativas, devidamente organizadas, na preparação das terras e tornar célere o processo.
“É importante que os camponeses estejam dotados de meios suficientes para produzirem cada vez mais porque só assim podemos combater a fome e a miséria”, sublinhou.
Eusébio de Brito Teixeira solicitou da Direcção Provincial da Agricultura maior acompanhamento e orientação dos camponeses, de forma a determinar-se, com exactidão, o número de hectares produzidos para que se encontrem mecanismos que viabilizem o escoamento dos produtos do campo para a cidade. “Se estivermos bem organizados podemos, a curto prazo, afastar do nosso seio o fantasma da pobreza e da fome, com a produção de enormes quantidades de alimentos e permitir, deste modo, que as receitas do petróleo sejam direccionadas para outros projectos e não para a compra de comida, como acontece actualmente”.  
No âmbito das comemorações do 20º aniversário da constituição da UNACA, Eusébio de Brito Teixeira procedeu à entrega de meios agrícolas e bicicletas aos camponeses.  
No Kuando-Kubango, a Federação de Camponeses controla 892 associações e 137 cooperativas.
 
Fábrica de tomate

Os camponeses solicitaram ao governo da província a montagem de uma fábrica de tomate, e outra de moagem e viaturas de carga que facilitem o transporte dos produtos do campo para cidade. 
Os camponeses reconheceram o esforço da União Nacional das Cooperativas, que, frisaram, “tudo tem feito na transmissão das orientações vindas do Governo”, para  assegurar a ligação da cidade ao campo .
Os camponeses do Kuando-Kubango manifestaram, a sua  insatisfação pela falta de instalações condignas para os trabalhos administrativos dos responsáveis da Unão Nacional das Cooperativas na província.

Tempo

Multimédia