Províncias

Milhares de terras preparadas para fomentar o cultivo de arroz

Alzira da Silva | Menongue

A comuna do Longa, no município do Cuito Cuanavale, tem disponível para a presente campanha agrícola 2009-2010 200 mil hectares de terra para o cultivo de arroz, informou ontem, em Menongue, o director provincial da Agricultura e do Desenvolvimento do Kuando-Kubango, Francisco Manuel Mateus. 

Camponeses estão empenhados na campanha agrícola para o seu auto-sustento
Fotografia: Pedro Miguel

A comuna do Longa, no município do Cuito Cuanavale, tem disponível para a presente campanha agrícola 2009-2010 200 mil hectares de terra para o cultivo de arroz, informou ontem, em Menongue, o director provincial da Agricultura e do Desenvolvimento do Kuando-Kubango, Francisco Manuel Mateus.

Francisco Mateus disse que é propósito do Governo da província do Kuando-Kubango intensificar a actividade através de pequenas, médias e grandes fazendas para a cultura de arroz.
O responsável referiu que, além do cultivo de arroz para esta campanha, vão ser introduzidas 20 mil fruteiras diversas como laranjeiras, tangerineiras, limoeiros e pereiras, sendo, numa primeira fase, para os municípios de Menongue e Cuchi.
Informou que a presente campanha beneficiou mais de 48 mil famílias, que viviam em áreas de difícil acesso, e foram entregues 80 toneladas de sementes de massambala, igual número de sementes de massango, 25 toneladas de milho, mais de 20 mil enxadas e 300 charruas.
Referiu que a campanha passada beneficiou 85 mil famílias, e, para este ano, prevê-se um total de 133 mil famílias.
“Nós, para esta campanha, paralelamente à actividade manual, estamos a introduzir paulatinamente a mecanização agrícola, a tracção animal, porque temos algumas dificuldades na aquisição do combustível e lubrificantes. Estamos a actuar na base da tracção animal. Temos apenas 15 tractores, daí que para 2010-2011 nós prevemos um incremento substancial na mecanização agrícola”, precisou.

Escoamento de produtos

Para Francisco Mateus, o escoamento de produtos tem-se revelado difícil, daí que é intenção do Governo, para além do fomento da actividade em si, criar condições para que as infra-estruturas de apoio à produção surjam e contribuam para a conservação, armazenamento e escoamento dos produtos para as áreas de difícil acesso.
O responsável considerou ser aposta do governo da província e da Direcção Provincial da Agricultura trabalhar no sentido de organizar os pólos agrícolas.

Canal de irrigação na zona do Missombo

O perímetro rural do Missombo faz parte de um projecto que é da responsabilidade do Ministério da Agricultura e, nesta fase, está em curso a criação de condições administrativas para que um gabinete seja instalado.
A segunda fase do canal já terminou e a terceira fica pronta em breve. Para a presente campanha agrícola, independentemente da inauguração do canal, está em curso a preparação de terra e respectiva entrega às entidades competentes.
“Neste preciso momento nós estamos a dar prioridade às cooperativas, associações e alguns agricultores devidamente organizados. Demos prioridade às cinco melhores cooperativas, dotadas de melhor organização e seleccionadas num grupo de dez agricultores que vão servir de teste piloto”, pontualizou.
Francisco Mateus informou que, para o ano 2010, está em perspectiva a construção de um Instituto Médio Agrário, no município do Cuchi, projecto do Ministério da Agricultura, no âmbito do pacote de investimentos públicos que contribuem para a formação de quadros e facilitar a assistência técnica.
O responsável referiu que o sector conta com o apoio do Ministério das Pescas, com a introdução de 200 embarcações a motor e 100 a remo, uma actividade que tem sido praticada apenas pelas famílias camponesas da província. “Nós estamos a criar mecanismos para aqueles que queiram investir na pecuária na província”, disse, acrescentando que o fomento da pecuária intensiva vai ser implementado com o apoio de bancos.

Tempo

Multimédia