Províncias

Missombo com novas infra-estruturas

Lourenço Bule | Menongue

O director provincial de Hotelaria e Turismo do Cuando Cubango, Luís Francisco, disse  que o sector vai passar a ter uma escola superior e outra de artes e ofícios, de nível médio.

Sector da Hotelaria e Turismo no Cuando Cubango vai passar a dispor de uma escola superior e outra de artes e ofícios
Fotografia: Lourenço Bule | Menongue

As referidas escolas vão ser construídas na comuna de Missombo, a 18 quilómetros de Menongue, com o objectivo de apoiar o crescimento sustentável do turismo, com realce para o projecto turístico transfronteiriço de Okavango/Zambeze, que está a ser desenvolvido por Angola, Namíbia, Botswana, Zâmbia e Zimbabwe.
A Escola de Hotelaria e Turismo (EHTCC) vai ser construída numa área de 39 mil metros quadrados, com cinco edifícios, dois dos quais para o ensino das matérias ligadas à Hotelaria e Turismo e os outros três para acomodar os 250 estudantes que devem permanecer no local durante o curso, em regime de internato.
As obras, que vão ter a duração de 27 meses e são executadas em duas fases: a primeira corresponde à edificação da zona residencial e da Escola de Hotelaria e Turismo, que vai ter 12 salas para 500 alunos, divididos em dois turnos, sala de professores, mediateca, biblioteca, cozinhas pedagógicas colectivas, pastelaria e produção, zonas de lazer, espaços para colocação de estruturas técnicas, recepção, sala de controlo, sala de reuniões, auditório, enfermaria, lavandaria, cantina e restaurante. Na segunda etapa, as obras vão ter maior incidência no edifício do hotel escola de seis pisos para servir de estágio aos alunos, com zonas de lazer e estar, recepção, bar, restaurante, duas salas de reuniões, ginásio, esplanada, piscina, 30 suites para hóspedes e um parque infantil.
A empreitada vai criar 200 empregos directos. A província do Cuando Cubango tem perto de 90 mil quilómetros quadrados de zonas turísticas e conta actualmente com 53 unidades hoteleiras, entre hotéis e hospedarias, num total de 273 quartos e 356 camas. As ruínas do antigo estabelecimento prisional colonial, situadas no centro da vila de Missombo, vão ser reabilitadas e transformadas numa escola de artes e ofício, para ministrar os cursos de olaria, serralharia, carpintaria, têxtil e serralharia e dar suporte técnico aos projectos de hotelaria e turismo na região.
A execução das obras da escola de artes e ofícios está a cargo da empresa luso-angolana de construção civil NNN engenharia.  Com a duração de 12 meses, a empreitada vai dispor de um dormitório para 38 alunos, nove salas teóricas, quatro recintos de lições práticas dos cursos têxteis, olaria, serralharia e carpintaria, uma sala de informática, biblioteca, dois anfiteatros, parque de estacionamento, refeitório para alunos e professores, gabinete para os docentes, quatro residências para os professores, sala de reuniões e área administrativa.

Tempo

Multimédia