Províncias

Multinacional dos petróleos apoia comunidade Khoisan

Carlos Paulino | Menongue

A empresa multinacional BP-Angola lançou oficialmente, na terça-feira, na aldeia do Mbundu, a 93 quilómetros da cidade de Menongue,  um projecto denominado “Esperança 1”, que visa apoiar os membros da comunidade khoisan, nos sectores da agricultura, saúde, educação, formação de parteiras tradicionais, direitos humanos e garantia de registo de nascimento para o exercício de cidadania.

A empresa multinacional BP-Angola lançou oficialmente, na terça-feira, na aldeia do Mbundu, a 93 quilómetros da cidade de Menongue,  um projecto denominado “Esperança 1”, que visa apoiar os membros da comunidade khoisan, nos sectores da agricultura, saúde, educação, formação de parteiras tradicionais, direitos humanos e garantia de registo de nascimento para o exercício de cidadania.
 Orçado em 110 mil dólares americanos, o projecto tem a duração de um ano e vai apoiar as minorias san rurais (como também são chamados os khoisan).
O projecto vai beneficiar 609 membros da comunidade khoisan das aldeias do Mbundu e Mukundi, bem como abranger o sector do ambiente, através de jornadas escolares e extra-escolares e a criação de zonas verdes em três escolas do município de Menongue, nomeadamente Bolsa, Tribuna do Povo e Gabriel Matias.
O representante da BP Angola, Salvador Ferreira, disse que a sua instituição está a apoiar este projecto pelo facto dos membros da comunidade khoisan serem os primeiros povos a habitarem o país e durante muito tempo não terem recebido o apoio necessário para a sua integração social.
 A BP Angola, acrescentou, sendo uma empresa petrolífera, também tem uma responsabilidade social e, no âmbito desta acção, decidiu apoiar este projecto, denominado “Esperança 1”, que visa, fundamentalmente, acudir a algumas dificuldades que a comunidade khoisan do Kuando-Kubango enfrenta.
O representante da BP Angola disse ainda que existe um outro projecto, que também pretende apoiar esta comunidade. O referido projecto, apoiado igualmente pela BP Angola, está a ser implementado na província do Cunene, disse Salvador Ferreira.  
 O director executivo provincial do Kuando-Kubango da Associação da Conservação do Ambiente e Desenvolvimento Integrado Rural (ACADIR), António Chipita, solicitou a colaboração das distintas direcções do governo provincial, para que o projecto tenha êxito e ajude a combater a fome, a pobreza e a exclusão social das populações indígenas, na região.
 António Chipita pediu igualmente aos membros da comunidade khoisan do Mbundu e do Mukundi para participarem activamente, para que este gesto solidário da BP Angola possa resolver, em grande medida, os principais problemas que enfrentam.
A directora provincial do Kuando-Kubango do Ministério da Assistência e Reinserção Social (MINARS), Modesta Ngueve, em representação do vice-governador da província para área social, José Maria dos Santos Ferraz, agradeceu o gesto da BP Angola, tendo solicitado à instituição a extensão das suas acções a outras localidades do interior da província, com vista à integração social de todos os membros da comunidade san.    
Dados apontados pela ACADIR, associação que zela pela comunidade khoisan na província, estimam que cerca de sete mil membros estejam a viver no território do Kuando-Kubango.

Tempo

Multimédia