Províncias

Município de Mavinga tem iluminação solar

Lourenço Bule | Mavinga

Pelo menos, 80 infra-estruturas sociais, entre instituições públicas e residências construídas para os funcionários, na sede municipal de Mavinga, a cerca de 400 quilómetros de Menongue, beneficiam actualmente de um sistema de energias renováveis, no quadro de um projecto experimental do Executivo, que está a ser executado na província do Cuando Cubango.

Administrador de Mavinga defende que o Executivo deve apostar em energias renováveis
Fotografia: DR

Mavinga é a primeira localidade da província a beneficiar do referido projecto, que, além das residências e instituições públicas, já permitiu a instalação de 200 postes para a iluminação pública, uma situação que está a deixar satisfeita a população local, que agora se sente mais segura ao circular durante o período nocturno.

O administrador de Mavin-ga, Francisco Manjolo, disse, em entrevista ao Jornal de Angola, que em cada edifício foi instalado um painel solar, de 1.500 megawatts de potência, e um conversor que transforma a energia alternada em contínua, podendo alimentar uma vasta gama de electrodomésticos.
Francisco Manjolo salientou que numa primeira fase foram contempladas apenas 80 vivendas de carácter definitivo, que albergam alguns serviços sociais, moradias dos funcionários e 200 postes de iluminação pública, instalados há cerca de cinco meses e que nunca apresentaram qualquer tipo de problema técnico.
De acordo com o administrador municipal, a implementação do sistema de energia solar em Mavinga está a trazer múltiplos benefícios à região, tendo em conta a sua localização geográfica (zona de difícil acesso) e a redução dos custos para a transportação de combustível, para o grupo gerador que abastece energia eléctrica à maior parte dos habitantes da vila.
“Este projecto é bastante viável para o município de Mavinga, bem como para as zonas de difícil acesso de toda a província. O Executivo deve apostar neste tipo de sistemas de energias renováveis, ao contrário das turbinas ou geradores que acarretam custos muito elevados para a sua aplicação e manutenção”, sublinhou Francisco Manjolo.
O administrador de Mavinga acrescentou que, apesar da actual situação financeira que o país atravessa, é necessário recrutar-se recursos financeiros para a implementação do projecto de energia solar, por ser muito vantajoso e permitir que a população das comunas e de outras aldeias possam também beneficiar de energia eléctrica.

Capacidade instalada

O administrador Francisco Manjolo disse que o município de Mavinga possui actualmente um grupo gerador de 1.900 kva, que fornece energia eléctrica aos habitantes locais, uma potência que poderá ser aumentada para 3.900 nos próximos dias, com a entrada em funcionamento de outros dois grupos geradores.
Em relação às comunas do Licua, Kunjamba, Luengue e Kutuilo, enquanto se aguarda pela instalação do sistema solar, a administração vai trabalhar na recuperação dos grupos geradores existentes, para colmatar as dificuldades que a região atravessa no que concerne à distribuição de energia eléctrica à população, disse.
Francisco Manjolo exortou a população a não vandalizar os meios, assim como a pagar o consumo de energia eléctrica, para assegurar a manutenção dos grupos geradores e aquisição de combustível.

Água potável

Francisco Manjolo disse que cerca de sete mil, dos 15 mil habitantes da sede do município de Mavinga, beneficiam de água potável a partir da Estação de Tratamento de Água (ETA) construída em 2005 e que beneficiou recentemente de obras de manutenção.
Salientou que a ETA tem capacidade para bombear 375 mil litros cúbicos por hora e permitiu efectuar perto de 80 ligações domiciliárias.
Mavinga conta também com vários furos de água e chafarizes espalhados pela vila, para que toda a população tenha acesso à água potável. “Outrora tivemos muitas dificuldades no fornecimento de água potável às populações, as pessoas consumiam água retirada directamente do rio Cúbia, mais hoje a realidade é completamente diferente, embora não seja ainda o desejado”, disse o administrador.

Tempo

Multimédia