Províncias

Município do Calai com novas infra-estruturas

Carlos Paulino | Calai

Sofe e Tchindindi, no município do Calai, dispõem, desde o fim-de-semana, de um posto de saúde e de uma escola primária, com duas salas de aula, inaugurados, no âmbito das comemorações do 54º aniversário do MPLA.

Ao administrador municipal de Calai coube a honra de cortar a fita inaugural da escola
Fotografia: Nicolau Vasco | Calai

Sofe e Tchindindi, no município do Calai, dispõem, desde o fim-de-semana, de um posto de saúde e de uma escola primária, com duas salas de aula, inaugurados, no âmbito das comemorações do 54º aniversário do MPLA.
O governador Eusébio de Brito Teixeira também inaugurou uma casa T-5, para a rainha, e uma T-3 para o administrador adjunto do Calai.
Além disso, entregou dois tractores para apoiar os camponeses na preparação de terras, e um barco a motor para facilitar a travessia do rio Kubango, nas deslocações da população para o Rundu, na Namíbia, e vice-versa. 
 O primeiro secretário provincial do Kuando-Kubango do MPLA, Manuel Francisco Tuta “Batalha de Angola”, que presidiu o acto provincial no Calai, inaugurou o edifício do comité municipal e pediu maior empenho dos militantes, amigos e simpatizantes do partido “para se atingirem as metas preconizadas”.
A província do Kuando-Kubango, frisou, está a recompor-se aos poucos e para que os trabalhos de reconstrução ganhem um ritmo ainda maior, o Governo tem como estratégia a revitalização das pequenas unidades de produção de material de construção, designadamente cerâmica e serração, carpintarias e serralharias para o fornecimento de matéria-prima para o processo de reconstrução.
 “A independência económica de qualquer país não se conquista do dia para noite, mas a custo de muito sacrifício, que passa pela recuperação de alguns serviços, que vão possibilitar o rápido desenvolvimento e dar resposta aos programas previamente estabelecidos para o bem estar da população”, disse.
Batalha de Angola recordou que o país tem como prioridade a recuperação de estradas, caminhos-de-ferro, pontes, escolas, postos de saúde e de outras infra-estruturas de impacto social.
O primeiro secretário lembrou também que há ainda um longo caminho a percorrer no domínio da assistência médica e medicamentosa, fornecimento de água potável, energia eléctrica, saneamento básico, combate à fome e à pobreza e melhoria das condições de habitabilidade das pessoas, com base no projecto de autoconstrução dirigida.

Tempo

Multimédia