Províncias

Municípios recebem verbas para o sector da saúde

Nicolau Vasco | Menongue

Menongue, Cuchi, Cuangar, Calai e Dirico foram contemplados na primeira fase do Plano Municipal de Desenvolvimento Sanitário (PMDS).
O PMDS, que começa neste mês e se desenvolve até 2017, destina-se a zelar pelo saneamento básico e pelo regime alimentar das comunidades e a fazer o rastreio de doenças cardiovasculares, HIV/Sida, paludismo e tuberculose.

Administradores e responsáveis municipais da Saúde traçam novas estratégias para melhorar o funcionamento do sector na região
Fotografia: Nicolau Vasco|Menongue

O Ministério da Saúde, com o intuito de garantir a boa gestão das verbas do PMDS, realizou, em Menongue, uma acção de formação de cinco dias frequentada por administradores, directores e chefes de departamento de saúde pública, médicos e enfermeiros dos municípios seleccionados.
Os municípios de Nancova, Mavinga, Rivungo e Cuito Cuanavale são contemplados na segunda fase, que começa no segundo semestre, disse o vice-governador para  o sector político e social, Pedro Camelo, na abertura da acção formativa, durante a qual foram leccionadas matérias relacionadas com projectos de saúde contemplados no Plano Municipal de Desenvolvimento Sanitário, fundamental para o êxito do programa de combate à pobreza.
O vice-governador do Cuando Cubango afirmou que o PMDS deve atingir os resultados desejados nas comunidades, “onde os índices de mortalidade ainda são muito altos” devido principalmente ao paludismo. Pedro Camelo referiu que o PMDS tem como objectivo principal “orientar os municípios na execução de projectos de saúde, de acordo com a realidade local”, com a promoção, prevenção, tratamento e reabilitação de infra-estruturas.

Melhoria de serviços

O director provincial da Saúde salientou que desde a conquista da paz em 2002 o sector  da Saúde no Cuando Cubango cresceu bastante e responde em termos de assistência médica e medicamentosa às necessidades da população, principalmente a das zonas mais isoladas.
Fernando Cassango disse que até 2002 na província havia cinco unidades sanitárias, 15 médicos e 200 enfermeiros. Hoje, realçou, há 89 unidades sanitárias, entre as quais seis hospitais, 38 médicos e 1.345 enfermeiros, o que tem contribuído para a melhoria da assistência médica e medicamentosa.
No âmbito dos Programas de Investimentos Públicos e de municipalização dos serviços primários de saúde, além de postos médicos e de saúde, estão a ser construídos dois hospitais de referência em Menongue e um no Calai.
Nos próximos dias, acrescentou, começam a ser construídos os hospitais municipais do Rivungo, Dirico e Mavinga.

Tempo

Multimédia